Tatuagens para homenagear quem já se foi

Para eternizar boas lembranças na pele e no coração. <3

Apesar de a morte ser uma das coisas mais difíceis que podemos enfrentar, o luto é inevitável. Se você é apaixonada por tatuagens e busca inspiração para homenagear alguém querido que já se foi, confira algumas inspirações e prepare-se para se emocionar com histórias tocantes de pessoas que também já passaram por isso.

Arquivo Pessoal/Manuela Cavalcanti da Silva Arquivo Pessoal/Manuela Cavalcanti da Silva

Arquivo Pessoal/Manuela Cavalcanti da Silva (/)

“Como minha mãe sempre diz… Eu sou a cópia do meu pai! Desde o jeito até a aparência, o que muda é que eu sou ele na versão feminina (risos). Cresci com esse parâmetro sempre em evidência para todos da família e, hoje, eu me orgulho muito em ser tão parecida com ele. Quando perdi meu pai, me dei conta de que queria um pouco mais dele em mim. Juntei essa vontade ao meu interesse por tatuagens e optei por fazer algo original, que só eu tivesse. Assim, fui atrás de alguns documentos antigos e encontrei a sua assinatura. Linda, delicada e com a sua marca registrada, total característica dele. Optei por uma das menores, para dar a sensação de que ele mesmo tivesse me tatuado. E o resultado foi exatamente esse: parece que ele assinou em mim! No momento em que pensei em tatuar algo que me deixasse mais próxima do meu pai, além da assinatura, me vieram à cabeça diversas músicas que eu escutava por conta do momento que eu estava vivendo, trechos ou frases que falavam muito de nós – ou muito dele -, mas nada me tocava a fundo. De repente, eu resolvi ouvir um bom samba, como de costume, e uma canção super antiga apareceu. Essa música nem faz parte da minha época, mas me lembro de escutar, na minha infância, ao lado do meu pai. Grande Nelson Gonçalves, com a música Naquela Mesa, despertou em mim exatamente o que eu gostaria de dizer. E a escolha foi um lindo trecho que retrata verdadeiramente o que o meu pai foi para mim e é para a mulher que eu me tornei: ‘E nos seus olhos era tanto brilho que mais que seu filho eu fiquei seu fã!'” (Manuela Cavalcanti da Silva)

Arquivo Pessoal/Francisco Lima Arquivo Pessoal/Francisco Lima

Arquivo Pessoal/Francisco Lima (/)

“Eu e meu irmão éramos muito ligados. Apesar de sermos em 3, o Kleudo era como um pai pra mim, já que o nosso tinha falecido quando minha mãe estava grávida de mim. Ele sempre me incentivou a trabalhar e a correr atrás de uma vida melhor. E, nisso, ele era um exemplo, porque ajudava muito em casa, sempre feliz e com um sorriso no rosto. Quando estava no último ano de faculdade, ele sofreu um acidente e ficou em coma por 20 dias, falecendo depois. Eu não tinha conseguido dar tchau direito para ele naquele dia, pois estava tomando banho. Uns meses depois que ele morreu, eu quis fazer uma tatuagem para homenageá-lo. Então, conversei com o tatuador e chegamos à ideia do coração preto com asas machucadas. Também tem o apelido do meu irmão – Queen – e o ano de seu nascimento e falecimento. Eu já tinha algumas tatuagens e a minha mãe sempre reprovou. Mas, quando ela viu essa, eu entendi pelas suas lágrimas que estava tudo bem.” (Francisco Lima) 

Arquivo Pessoal/Camila Kimura Arquivo Pessoal/Camila Kimura

Arquivo Pessoal/Camila Kimura (/)

“Ganhei a Mel quando eu tinha 7 anos e ela foi o amor da minha vida. Ela fazia aniversário a 3 dias do meu e isso nos aproximou mais. A cachorra mais boazinha que existiu na face da Terra era ela: dormia comigo praticamente todos os dias e era a companheira da casa. Foi minha primeira experiência com morte e foi bem pior do que eu imaginava… Um mês depois que ela morreu, eu fiz essa tatuagem e é meu xodó. No dia 11 de abril, fará um ano que ela se foi, um ano de uma saudade sem fim, um ano que minha vida não é a mesma.” (Camila Kimura) 

No mundo das celebridades, alguns famosos também escolheram as tatuagens como forma de homenagear quem partiu. Confira!

View this post on Instagram

#calvinklein #mycalvins

A post shared by Justin Bieber (@justinbieber) on

Para o avô, Justin Bieber tatuou um índio, símbolo do Stratford Culliton, time de hoquéi canadense para o qual eles torciam.

Para homenagear Floyd, seu cão de estimação, Miley Cyrus tatuou um esboço do animal e escreveu o nome de um álbum do Flaming Lips, no qual fez uma participação especial em uma das músicas.

​Vivi, filha de Raul Seixas, optou por desenhar o rosto do pai no braço.

Depois da morte do pai, Viviane Araujo tatuou um laço no tornozelo com as letras D e I penduradas como pingentes. Segundo ela, era assim que a sua mãe o chamava.

Após a morte de David BowieLady Gaga decidiu homenagear o ídolo e tatuou o seu rosto na costela.

Inspire-se também em desenhos compartilhados nas redes sociais!

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆