Técnico da Seleção Brasileira Feminina é machista ao falar sobre jogadoras

O treinador Vadão reforça a ideia de que mulheres falam demais e que são descontroladas quando nervosas.

Nesta quinta-feira (16), o técnico Vadão divulgou as jogadoras brasileiras selecionadas para participar da Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019. O evento aconteceu na sede da CBF, no Rio de Janeiro, em que o treinador aproveitou para conversar com os jornalistas. Ao responder uma das perguntas, ele já começou bem mal: com uma fala machista sobre aprender “a lidar com mulheres”.

Vadão foi questionado sobre as diferenças dos vestiários masculino e feminino. No início da resposta, ele parecia começar bem citando um exemplo sobre um jogo entre o Brasil e a Argentina na Copa América. Mas, infelizmente, o técnico acabou usando o lugar de fala para reforçar a ideia de que mulheres falam demais quando estão juntas e que ficam descontroladas quando estão nervosas.

“A arbitragem estava muito ruim contra nós, até o Marco acabou tendo uma discussão lá com o personagem da arbitragem. Quando a gente foi para o intervalo, o jogo estava 0x0 e já era da outra fase, que era jogo decisivo, já pensando no final. E quando elas entraram no vestiário, elas não paravam de falar. Porque é difícil, elas não param mesmo. Quando elas vão almoçar, elas ficam na mesa delas ali, a gente fica na mesa aqui. Elas conseguem falar todas juntas, uma com a outra e ainda ouve o que a outra está falando lá e consegue se comunicar aqui. A gente não consegue fazer isso. Então, quando eu entrei no vestiário, estava um alvoroço. Todo mundo reclamando e falando da arbitragem, nervoso. Então é uma característica”, enfatizou o treinador.

Para completar o desserviço, Vedão ainda falou que as brigas são mais comuns entre jogadoras do que jogadores. E que acreditava já ter aprendido a lidar – sim, exatamente esse verbo – com mulheres por ser casado.

“O masculino, os homens, não tem tanto isso. Às vezes, uma discussão ou outra, mas é raro. As mulheres é com frequência quando elas estão nervosas. Às vezes, é um pouco mais difícil acalmar as mulheres naquele momento do que um homem. O homem é um pouco mais fácil de você ter. Esse tipo de característica feminina não dá. Você tem que aprender a lidar e eu achei que eu sabia lidar com mulher. Eu estou casado há 38 anos e ainda tenho uma filha, mas quando você mexe com 30 é diferente”, completou o técnico.