Vítima de abuso, garota de 12 anos transmite suicídio no Facebook

Quando a polícia local chegou - muito tempo depois - a adolescente foi levada para o hospital, mas declarada morta na chegada ao Pronto Socorro.

Siga o mdemulher no Instagram

Isso é muito triste! Katelyn Nicole Davis, uma garota de 12 anos vítima de depressão, cometeu suicídio e transmitiu via Facebook Live. O caso, que aconteceu no dia 30 de dezembro de 2016, em Cedartown, na Georgia, Estados Unidos, ganhou uma repercussão gigantesca após o vídeo ser publicado em outras plataformas e se tornar um mórbido viral.

Leia Mais: A cena de estupro de ‘O Último Tango em Paris’ foi mesmo estupro

De acordo com o Daily Mail, durante a transmissão, ela revelou ter sido abusada sexualmente por um familiar e, após isso, posicionou a câmera em frente a uma árvore, no jardim da casa dela, onde se enforcou. A ação durou cerca de 42 minutos (tempo suficiente para alguém chamar as autoridades responsáveis?) e, no final dela, é possível ouvir o grito de uma mulher.

“Perdão por não ser tão bonita, perdão por entrar e sair tão rapidamente da vida de vocês, perdão por não ser boa o bastante, perdão por parecer uma prostituta. Eu sinto muito”, disse ela minutos antes de tirar a própria vida.

Quando a polícia local chegou – muito tempo depois – a adolescente foi levada para o hospital, mas declarada morta já na chegada ao Pronto Socorro. O caso continua sendo investigado.

No blog pessoal dela, no qual ela usava o pseudônimo de “Dolly”, Katelyn, em 27 de dezembro, já havia feito publicações relacionadas ao abuso. Ela escreveu sobre ter apanhado com um cinto e sobre a tentativa de um parente de estuprá-la. Segundo o jornal, no texto ela também contou que, ao confrontar o abusador, o homem sugeriu a ela se enforcar.

Não é a primeira vez que alguém transmite a própria morte e, infelizmente, não será a última. É preciso criar mecanismos para ajudar essas pessoas e, principalmente, não tratar isso como um espetáculo ou episódio de “Black Mirror”. A culpa nunca é da vítima.

Apesar de já ter sido retirado do Facebook e Youtube, o vídeo está disponível em outros sites que continuam lucrando com anúncios cada vez que o conteúdo é exibido. Em respeito a outras pessoas que sofrem de doenças mentais ou sofrem abusos, essa filmagem deve ser combatida porque pode servir como gatilho.

Conhece alguém que precisa de apoio? O CVV, Centro de Valorização da Vida, realiza assistência emocional e prevenção do suicídio por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias. Ligue 141.