Você sabe perdoar? Aprenda táticas para superar a mágoa em sua vida

E não precisa nem fazer contato com a pessoa a ser perdoada: o perdão é um benefício de você para você mesma.

Pequenas ou grandes, as pisadas na bola fazem parte da vida. Pode ser por falha de sintonia ou de comunicação entre duas pessoas ou mesmo por falta de honestidade ou de caráter da parte de uma delas, mas o fato é que rolar uma mágoa com alguém – pode ser amigo, crush ou familiar – pelo menos uma vez na vida é inevitável.

O que faz toda a diferença é como cada pessoa lida com isso. Algumas são incapazes de perdoar e remoem o sentimento ruim por dias, meses e até anos. Outras preferem praticar o perdão e se livrar dessa bad vibe.

Se você faz parte do segundo grupo, são altas as chances de que consegue manter o bem estar e olhar com tranquilidade para o presente e para o futuro. Mas, se você está no primeiro grupo, é muito provável que a dificuldade para deixar as mágoas para trás empate a sua vida em diversos momentos.

Venha entender por que perdoar pode ser um ato libertador e individual – não precisa nem olhar na cara de seu desafeto para se beneficiar com o perdão. E, depois, confira as dicas para aprender a arte de perdoar.

Estudos científicos analisam os benefícios do ato de perdoar

Para começar, é comprovado por estudos científicos que o ato de perdoar não é bom apenas por colocar um sorriso no seu rosto: ele resulta em benefícios físicos.

Em um artigo para a revista do Hospital Johns Hopkins (Baltimore, EUA), a psiquiatra Karen Swartz apresentou resultados de sua prática clínica que indicam que as pessoas que perdoam têm uma melhora no quadro cardíaco (tanto nos batimentos quanto na pressão arterial) e nos níveis de estresse.

Pesquisadores da Universidade do Tennessee (EUA) comprovaram que quem perdoa tem padrões de sono melhores em quantidade de horas dormidas e em qualidade do descanso. Ao mesmo tempo, um estudo da Universidade Duke (Carolina do Norte, EUA) apontou para a melhora na imunidade daqueles que praticam o perdão em seu dia a dia.

O perdão e a melhora na qualidade de vida

Com tudo isso, sua vida e sua postura diante das circunstâncias melhora. “Se você quer seguir em frente, fazer escolhas novas e positivas, é importante se liberar do passado, deixar ele ir embora para poder viver intensamente o hoje. Para isso, temos que proferir o perdão, porque só o perdão liberta. Enquanto você ficar sentindo e ressentindo aquela mágoa do passado, você está presa lá”, afirma a analista comportamental Aline Salvi, especialista em programação neurolinguística.

Ela explica, baseada em estudos, que perdoar é uma questão de necessidade para liberar espaço neurológico para novos aprendizados. “A neurociência tem explicado muitos mistérios sobre nós mesmos; descobriu que, quando as células nervosas ficam doentes, geram consequências físicas no nosso corpo, algo que a falta de perdão pode provocar.”

Heloísa Capelas, especialista em inteligência comportamental, diretora do Centro Hoffman e autora do livro “Perdão: A revolução que falta”, defende que “nem sempre é simples, mas perdoar é o único caminho para a libertação.”

É Heloísa que dá a boa notícia de que, para deixar para trás o que aconteceu, não é necessário sequer confrontar quem causou sua mágoa (e correr o risco de reviver a dor causada): “O perdão é seu, e não do outro; o bem estar é para você, não para o outro. Você pode perdoar uma pessoa sem ter que explanar isso a ela. Quando você perdoa, a cura é sua. A sua inteligência emocional é exercitada para compor um organismo mais pleno.”

Veja também

Dicas para incluir o perdão no seu dia a dia

Aline e Heloísa dão, a seguir, seis dicas para você conseguir perdoar e melhorar sua vida.

– Decida que não quer mais sentir raiva

Heloísa explica que o apego à raiva e o sentimento de vingança tornam o ciclo pessoal do perdão mais complicado. “Livrar-se dessa corrente pode salvar sua vida. Você pode perdoar em silêncio. A cura e o ponto final desse ciclo pode estar em não sentir mais raiva.”

– Perdoe as pequenas pisadas na bola do cotidiano

Transforme o perdão em um hábito e aumente sua inteligência emocional. Perdoe o colega de trabalho que foi mal-educado, o motorista que lhe fechou no trânsito, o vizinho que não segurou o elevador.

– Fale sobre o que lhe magoou

Mas fale para se livrar disso de uma vez por todas, não para ficar remoendo. A ideia é desabafar com alguma amiga ou levar o assunto para a terapia. Verbalizando, você poderá canalizar a angústia, perceber os pontos principais da mágoa, elaborá-los em sua mente e descartá-los. E, por fim, seguir adiante.

– Reconheça sua parcela de responsabilidade

Às vezes estamos em um momento frágil, com a autoestima baixa, e abrimos a guarda para aquela pessoa não tão legal nos magoar. É importante reconhecer quando é esse o caso, para evitar que se repita e também para conseguir encontrar o melhor caminho interno para o perdão. Inclusive para o autoperdão, ou seja, eliminar uma possível raiva de si por ter permitido que isso acontecesse.

– Perdoe seus pais

Mães e pais ou tutores, via de regra, fazem o melhor pelos seus filhos. Erram, é verdade, porque são humanos. E não é raro filhos guardarem mágoas por esses erros durante muitos anos. Esse sentimento é um sabotador do progresso individual. Perdoe seus pais por eles não terem sempre correspondido às suas expectativas e busque em sua história os pontos positivos de sua relação, as coisas boas que eles fizeram por você. Isso abrirá seu caminho.

– Nutra sentimentos positivos

“Quem pensa o mal ou deseja o mal anda em círculos, porque a vida empaca, não vai para a frente”, afirma Aline. Ela explica que os sentimentos podem ser medidos em velocidade e comprimento de onda e que, uma vez lançados ao universo, voltam exatamente na mesma medida – sejam eles bons ou maus. Alimentar e emanar mágoa para o universo só trará mais mágoa para a sua vida. “Sejamos seres humanos evoluídos e desprendidos de dores e sentimentos negativos”, sugere a especialista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s