Como lidar com os erros dos filhos sem sentir culpa

Todas as mães sofrem com o sentimento de culpa, que é forte. Mas elas precisam se libertar dele para serem mais felizes

Não projete no seu filho os sonhos que você queria ter realizado
Foto: Getty Images


Quando nasce um bebê, surge também uma mãe, cheia de amor, cuidados e… culpa! “Se ele não mama direito é porque tenho pouco leite.”  “Se chora demais, a culpa é minha!” Na maioria das vezes, a mãe pensa assim. Mas isso é verdade? “Culpa é algo que só devemos sentir quando fazemos algo de propósito, para prejudicar outra pessoa. Não é o caso das mães, que sempre buscam acertar”, orienta Olga Tessari, psicóloga e autora do livro Dirija sua Vida sem Medo (Ed. Letras Jurídicas).

Toda mãe quer ser obedecida. Mas, aos poucos, o filho cria suas próprias escolhas e a mãe se frustra. Aí vem a culpa quando ela vê o filho quebrar a cara. “A intenção das mães é positiva, mas não existe mãe perfeita. Se ela erra, é por amor. Nesse caso, dá pra se perdoar sempre! E tentar melhorar”, diz Olga. Confira como é possível viver de forma equilibrada sem este sentimento que é tão ruim:

Livre-se das culpas mais comuns

Trabalhar fora e não ter tempo para os filhos

O mais importante aqui é não perder contato com o filho. Claro que haverá dias em que você vai chegar em casa cansada, mas dedique ao menos meia horinha para ficar só com ele. “Essa atitude vai colaborar para você se sentir menos culpada”, orienta Olga.

A filha engravidou na adolescência

O que não pode é, por causa da culpa, você assumir o seu neto para criar! Nem expulsar a filha de casa ou ficar em depressão. “O ideal é orientar a filha, ajudar, mas deixar claro que a responsabilidade com a criança é dela.”

Notas baixas e falta de interesse na escola.

“A criança prefere brincar a estudar, mas é responsabilidade do pai ficar em cima, ver os cadernos, as provas e ir às reuniões escolares”, analisa Olga. Culpar-se depois não adianta.

Seu filho usa drogas

Isso destrói toda mãe. Mas primeiro é preciso se livrar da culpa para depois ajudá-lo. “Não brigue, nem bata. A droga é uma fuga da realidade. Tente descobrir do que seu filho está fugindo. Não se cobre, converse com calma”, diz a psicóloga. Revele as más consequências das drogas, os prejuízos e questione.

Não ter dinheiro para comprar tudo

O mundo é cheio de “nãos”. Não adianta você se matar de trabalhar para dar tudo o que seu filho quer. Privá-lo de certas coisas o fará crescer. “Na infância, os pais dão tudo. Daí o filho cresce e se apaixona, mas é rejeitado. Aí, terá de lidar com esse ‘não’. Se for o primeiro, ele não vai saber como agir e vai ser mais complicado”, alerta Olga.

Como acabar com a sensação de peso nas costas

· Não projete no seu filho os sonhos que você queria ter realizado.

· Para toda mãe, o filho nunca cresce. Mas faça o exercício diário de tentar perceber o quanto ele já é responsável pelas próprias escolhas.

· Ensine os seus valores, insista, eduque com bons princípios. Depois disso, viva sua vida com a certeza de que fez a sua parte.

· Confie na educação que você dá ao seu filho.

· Não se afaste de seu filho por se sentir culpada por algum erro que ele tenha cometido. Sair de perto é uma forma de não se comprometer. Deixe claro que é contra e questione. Mas não o abandone.


E quando o pai culpa a mãe por tudo o que dá errado?

Em geral, isso acontece porque, desde que o filho nasce, a mãe toma a responsabilidade toda para si. É ela quem cuida, protege e, até sem perceber, impede o pai de participar. Pior: quando o filho cresce, muitas vezes ela desautoriza as ordens do pai. Então, quando algo dá errado, o marido fica vontade para cobrar da mulher. Para evitar isso, o ideal é que o casal discuta todas as decisões sobre a educação da criança em conjunto e não discorde na frente dela. “Tirem um dia por semana para falar sobre a educação do seu filho, estejam casados ou separados. A responsabilidade não pode ficar com um só”, recomenda Olga.