Como resolver problemas de casamento

Especialistas ensinam a solucionar 4 problemas que podem destruir seu casamento. Fortaleça a relação já!

Para existir cumplicidade, é preciso demonstrar interesse e participar da vida do parceiro
Foto: Getty Images

Há problemas de relacionamento que, se não são bem resolvidos, podem detonar um casamento. Confira se você comete algum desses equívocos no seu relacionamento e leia as dicas da psicóloga Renata Lommez para evitar que esses tropeços ponham em risco o seu casamento.

1. Infidelidade
A infidelidade mina uma relação porque compromete sua base: a confiança. Quem trai, mente para o parceiro.

Solução: aceitar as responsabilidades da vida de casal
Para a psicóloga Renata Lommez, especialista em terapia familiar, há um mal comum entre alguns homens: a infidelidade crônica. “Eles não se permitem amar e relutam em abandonar a vida de solteiro”, diz ela. Entretanto, o casamento é uma nova fase, que exige uma mudança de comportamento. “Se o casal não quer que a família se desestruture, tem de aceitar que a vida de solteiro mudou e que é preciso assumir novas responsabilidades”, acrescenta.

2. Problemas de comunicação
É comum que as pessoas tenham opiniões diferentes sobre um mesmo assunto. Para evitar discussões e decepções, geralmente os casados evitam alguns temas. Muitos casais optam por essa saída, mas vão se distanciando sem perceber. Como já crêem de antemão que não vão entrar em acordo, preferem não conversar, não compartilhar os problemas, anseios e projetos e, no final, se esquecem das afinidades que os uniram e acabam por pensar que já não têm nada em comum.

Solução: resgatar as afinidades
Apesar do distanciamento, o casal tem afinidades, tanto que um dia se apaixonou. Para Renata Lommez, os casados poderiam tentar voltar a fazer as atividades nas quais tinham prazer juntos e, assim, reforçar as afinidades. “Eles precisam entender que aceitar o ponto de vista do outro não significa perder a individualidade”, diz.

3. Falta de participação na vida do outro
Para existir cumplicidade, é preciso demonstrar interesse pela vida do parceiro e participar da rotina do marido. Muitas mulheres, embora apaixonadas pelos esposos, não mostram interesse por eles – um hobbie, a carreira profissional ou qualquer outra coisa.

Solução: cultivar a admiração mútua
Primeiro, a mulher tem que admirar a si mesma. “Só gostando de si mesma, interessando-se pela própria vida, a mulher poderá ter interesse de verdade pelos projetos do marido, porque ninguém pode dar o que não tem”, comenta Renata Lommez.

4. Excesso de discussões
Diversos casais levam os mínimos problemas a debate. Uma pequena divergência é suficiente para iniciar uma briga e desatar uma torrente de ressentimentos acumulados. Diferente de uma discussão, em que o objetivo é confrontar as idéias em busca de um consenso, as brigas ocorrem porque nenhum dos dois está disposto a ceder um milímetro. Eles não se escutam, e a briga é para ver quem faz prevalecer sua idéia não pelos argumentos, mas pelo volume da voz.

Solução: perdoar os problemas anteriores
“Esse tipo de casal já perdeu o respeito mútuo”, diz Renata Lommez. As mágoas acumuladas fazem com que qualquer discussão seja só uma desculpa para soltar a agressividade. “Melhor seria se eles fizessem uma profunda reavaliação dos problemas de fundo, que são o motivo real de todas as outras brigas. Só quando esse casal se perdoar de fato, vai poder conviver melhor.”