Controle o ciúme exagerado que seu filho sente por você

Saiba como identificar se o ciúme do seu filho é exagerado e aprenda como controlá-lo sem provocar brigas ou traumas para as duas partes

Siga o mdemulher no Instagram

“O ciúme do filho com a mãe vem do fato de que por nove meses ele foi parte dela”, diz Miguel Perosa, psicoterapeuta
Foto: Getty Images

“Sai, ela é minha namorada!”, diz o garotinho com pose de machão, empurrando o pai para fora do sofá. A “namorada” em questão é a mãe! Pode parecer fofo, engraçadinho, ingênuo. Mas o ciúme que um filho tem da mãe pode virar coisa séria com o passar dos anos. É o caso das crianças que boicotam os namorados das mães, por exemplo. Ou então daquelas que assumem uma postura tão protetora com as mães que acabam evitando o contato com os próprios pais! E isso pode não ser nada saudável. Saiba como lidar com as cenas de ciúme mais comuns de filhos crianças ou adolescentes.

Descubra se o ciúme dele é normal

É normal sentirmos ciúme do que tem significado para nós. Mas ele passa do limite quando não se corre nenhum risco de perder o que se ama e, mesmo assim, fica-se com ciúme. “O ciúme do filho com a mãe vem do fato de que por nove meses ele foi parte dela”, diz Miguel Perosa, psicoterapeuta.

O filho fica inseguro ao ver que a atenção da mãe não é exclusiva para ele. Daí, adota um comportamento possessivo que não faz bem para ninguém. O segredo para não ter um filho ciumento é mostrar que gosta dele do jeito que ele é e estimular seu convívio com outras pessoas


Tudo tem limite

1. A mãe apresenta um namorado novo

De acordo com a psicóloga Sylvia Van Enck, o envolvimento dos pais com outros parceiros deve ser comunicado aos poucos para os filhos: “Primeiro, avise que sairá com amigos, pessoas conhecidas deles, ou traga poucas pessoas para um encontro em casa. Assim, a criança percebe que a mãe mantém relações de amizade. Depois, fale sobre a pessoa com quem você está saindo. Apresente-a a seu filho e permita que eles tenham alguma convivência para começarem a formar um vínculo afetivo e de confiança”. Não force nada.

2. O Filho disputa com o pai

Se o filho disputa o lugar do pai na vida da mãe, ou a filha com a mãe, é preciso impor limites. Esse é um caso comum, mas bastante sério: entenda o sentimento da criança, mas sem achar “engraçadinho”. A sua relação com seu companheiro deve estar bem clara para os seus filhos, mostrando que os dois são importantes para você, mas que você os ama de maneiras diferentes.