Gravidez na adolescência: como orientar os filhos?

Saiba como conversar com seus filhos a prevenir a gravidez na adolescência

A melhor prevenção está no amor e na segurança dos pais. Os filhos precisam confiar nos pais
Foto: Getty Images

Muitas mães só reparam que os filhos já têm vida sexual ativa quando surge uma gravidez precoce na família. Segundo a Organização das Nações Unidas, o Brasil tem a segunda maior taxa de gravidez entre menores de 19 anos. É preciso ficar mais atenta. Albertina Duarte Takiuti, ginecologista especializada em adolescentes, em São Paulo, diz que a melhor prevenção está no amor e na segurança dos pais. Saiba como conversar sobre o tema e como reagir caso isso aconteça com seus filhos.

 

Como conversar com os meninos sobre sexo

As dúvidas mais comuns que os meninos têm são sobre masturbação, tamanho do pênis, impotência e ejaculação precoce. Na vida dos meninos, não existe um “ritual de passagem” para a vida adulta, como a menstruação é para as meninas. Quando os meninos percebem, eles já são adultos. Mas os meninos têm tantas dúvidas sobre sexo quanto as meninas e também precisam ir ao médico. As meninas devem ir ao ginecologista e eles, ao urologista.

Como orientar as meninas sobre gravidez

As dúvidas mais comuns das meninas são sobre masturbação, a “tabelinha” (método de prevenção de gravidez contraindicado para quem ainda tem o ciclo menstrual irregular), se a primeira vez dói e se elas transam do jeito certo. Quando as meninas começam a apresentar as primeiras mudanças no corpo, esta para a chegada a primeira menstruação. Quando essas mudanças começarem, a menina deve fazer a primeira consulta no ginecologista. É importante que a mãe leve sua filha ao consultório, mas não permaneça na sala durante a consulta para que ela se sinta mais à vontade.

Gravidez na adolescência: como orientar os filhos?

Os adolescentes começam a vida sexual entre os 14 e 16 anos. Entenda o por que os jovens procuram o sexo cada vez mais cedo
Foto: Getty Images

O que fazer ao descobrir que sua filha esta grávida?

Se você descobriu que sua filha está grávida ou que seu filho vai ser pai, não dê bronca, dê amor: é o que eles mais precisam. O mais importante é não forçar o casal a ficar junto, só se eles desejarem e tiverem maturidade e condições financeiras para viver.


Por que os adolescentes procuram sexo cada vez mais cedo

Hoje, os adolescentes começam a vida sexual entre os 14 e os 16 anos. As gestações cada vez mais precoces têm justificativas:

1. Os adolescentes não têm intimidade com o parceiro e não sabem se impor. Eles são inexperientes e imaturos no tempo de convivência com o parceiro: o conhecem por poucos dias, ou até poucas horas, antes do ato sexual. Com essa falta de intimidade, fica difícil dizer para o outro: “sem camisinha não transo”.

2. Adolescentes também sofrem pressão dos amigos. Os jovens são pressionados pela turma, pela cultura e pela sociedade. Muitas adolescentes, com medo de serem rejeitadas pelos amigos, cedem às pressões do parceiro.

3. Falta de autoestima das garotas: quando a filha não é elogiada pela família, acaba procurando aprovação em outras pessoas, que podem se aproveitar dela.

4. Insegurança exagerada: a gravidez na adolescência continua acontecendo não por falta de informação. Os jovens conhecem os métodos para evitar, sabem usar a camisinha e tudo o que envolve a sexualidade. O problema é a insegurança típica dessa fase. “Brigar quando a filha diz que já transou, dizer ‘o que você fez menina?’ não adianta”, diz a médica Albertina. Em vez de proibir, os pais precisam dar atenção, conversar, expressar seu amor aos filhos. “O adolescente é carente como um bebê. Ele precisa se sentir amado tanto quanto um recém-nascido”, orienta a médica.