Incentive seu filho a ter amigos fora da rede

Seu filho tem centenas de amigos no Facebook, mas vive sozinho no mundo real? Veja como é simples ajudá-lo.

Siga o mdemulher no Instagram

Amizades fora da rede valem mais!
Foto: Getty Images

Toda criança precisa de amigos para brincar e trocar experiências… Na adolescência, as amizades ganham ainda mais importância. É com a turma que o jovem se aventura e vive as dores e as delícias da caminhada até a vida adulta. E não basta ter centenas de amigos no Facebook! O que faz o ser humano crescer são os conflitos que surgem no corpo a corpo. Veja como estimular seu filho a cultivar amizades também fora das redes.

Uma andorinha não faz verão!

A maioria das crianças e adolescentes tem um melhor amigo. Isso é natural. Mas esse companheiro favorito não deve ser o único fora das redes sociais. “Isso é ruim, principalmente se um dos dois usa o outro como uma espécie de muleta, onde se apoia por causa da dificuldade em se enturmar”, alerta Tatiana Gola, coordenadora do Colégio Magister, de São Paulo. Fique atenta e tente sugerir, sem impor nada, que seu filho convide um amigo diferente para alguns programas.

Quando ele se sente só…

Algumas crianças mais tímidas apresentam dificuldade em conquistar e manter amizades fora do mundo virtual. Se é o caso do seu filho, você pode ajudá-lo. “Vale conversar na escola para tentar entender por que a criança está se isolando”, diz Tatiana. Outra atitude bacana é convidar alguns colegas para brincar na sua casa. Limitar o uso do computador também é uma boa. Seu filho vai perceber que o contato verdadeiro, de carne e osso, com outras pessoas pode ser mais divertido do que ficar só nos relacionamentos virtuais.

Entenda por que conflitos ajudam a crescer!

Tão normal quanto ter amigos é se desentender com eles de vez em quando. Mas isso é saudável, sabia? Porque é uma espécie de treinamento para a vida adulta – só não pode extrapolar para a violência. “O papel do adulto é agir como ‘juiz’ ou mediador, ajudando a criança a pensar sobre as atitudes que provocaram a briga e como tudo aconteceu”, diz Tatiana. Depois, deixe que seu filho volte às boas com o amigo sem interferir.