Os 5 problemas que mais apavoram os pais

Sexo, drogas, mentiras... Chega de perder o sono por causa do comportamento dos adolescentes. Confira as dicas que vão colocá-los nos eixos!

O que o adolescente mais quer é ter opinião própria. Proibir fará com que ele entre em choque com você
Foto: Getty Images

Muitas mães sofrem com os filhos adolescentes. Elas costumam fazer de tudo para endireitar – tentar entender – os filhos, mas têm enormes dificuldades. Segundo o hebiatra (médico especializado em adolescência) Marcelo Nunes Iampolsky, o segredo é o diálogo. E mais: a conversa tem de começar na infância, para que a criança já cresça acostumada a contar tudo aos pais. “Primeiro vem o papo, depois a negociação e aí, sim, a confiança. Se tudo for conversado, o filho começa a achar natural falar sempre a verdade e discutir o que é certo ou é errado”, afirma. Confira as dicas do profissional para alguns dos problemas da adolescência que apavoram os pais e coloque seu filho na linha!

1. Drogas

Os pais precisam conscientizar o filho sobre os malefícios das drogas. Existem cinco pilares que afastam o jovem dos vícios. Seguindo esses passos, a curiosidade pode até surgir, mas é pouco provável que o adolescente ceda à tentação.

Ter um projeto: incentive seu filho a ter planos de estudar, fazer determinado curso na faculdade ou seguir uma carreira no futuro.

Fazer um esporte: e outros cursos como música, teatro ou dança pode protegê-lo de vícios.

Manter o diálogo: conversar é básico. Quando surgir a curiosidade, explique o mal que pode fazer e mostre o que acontece com as pessoas que seguem esse caminho.

Conhecer os amigos: convide o grupo para se reunir na sua casa, seja para fazer trabalhos de escola ou para festas. Assim você vai saber quem são as pessoas com quem seu filho anda e se há alguém que pode prejudicá-lo na turma.

Escolher uma religião: além dos conceitos de que as drogas são contra a lei de Deus, a religião explica que essas substâncias são uma agressão ao corpo. E que os jovens devem se amar, e não se destruir.

2. Sexo

As meninas menstruam em média aos 11 anos. Isso quer dizer que é bom começar a falar cedo sobre gravidez. “Elas chegam à adolescência com conceitos errados e com muita curiosidade”, afirma Marcelo. E o desafio é falar sobre isso de uma maneira natural, descrever a relação sexual e passar todas as informações direitinho. Conversar sobre sexo não vai estimulá-la a fazer sexo. O que estimula é a mídia, a televisão, os impulsos, os amigos. A sexualidade vai ser despertada de qualquer maneira. O melhor é informar.

3. Mentira

Como na adolescência o jovem define sua personalidade, acaba se dedicando mais ao grupo de amigos e menos aos pais. Nessa fase, podem aparecer mentiras como dizer estar em um lugar e estar em outro, ou demorar mais do que prometeu. “Você pode diminuir a distância participando da vida dele. Saiba do que ele gosta e qual a sua opinião sobre os assuntos. É preciso confiar nele e dar condições para que ele diga a verdade”, diz o médico. Quando ele for a uma festa, combinem o horário que ele vai voltar, por exemplo. Os dois cedem e todo mundo fica feliz.

4. Cigarro e bebida

Com o cigarro e a bebida a situação é diferente. “Como é legalizado, é difícil para a mãe deixá-lo longe do vício”, afirma Marcelo. E é com conversa que se mostra o quanto pode ser ruim. Proibir não resolve nada. No caso das bebidas alcoólicas é preciso ter bom-senso. A maneira de tratar os filhos no começo da adolescência é diferente da de quando eles estão perto da maturidade.”Claro que uma criança de 10 anos não deve beber, mas um adolescente de 18 anos pode tomar uma cerveja socialmente. Sem exageros, claro”, aconselha.

5. Preguiça

Desde cedo é preciso mostrar o valor do dinheiro e a importância de estudar e trabalhar. O jovem tem de entender por que isso é necessário. Do contrário, não vai querer fazer mesmo. Uma boa forma de acostumá-lo com as obrigações é ensiná-lo a ajudar em casa em funções básicas, como arrumar a cama.

 

Segredos para educar bem

· O famoso “Senta aí que nós vamos conversar” não funciona. Seu filho pode ficar inibido ou de mau humor.

· O melhor é encaixar a conversa sempre numa situação cotidiana, como durante um almoço ou passeio.

· Aproveite as cenas das novelas, por exemplo, para discutir sobre o que é certo e errado fazer. Ouça a opinião dele e mostre a sua. Dê bons argumentos.

· O que o adolescente mais quer é ter opinião própria. Proibir fará com que ele entre em choque com você.

· Toda vez que disser “não”, explique o porquê.

· Faça seu filho saber que a liberdade é uma conquista. Ele precisa mostrar que merece sua confiança.
 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s