Papai e mamãe se separaram. E agora?

Seus filhos sofrem com a separação. Saiba como agir para amenizar as consequências do divórcio

Em 2008, foi aprovada a lei da guarda 
compartilhada: agora, pais e mães têm 
os mesmos direitos e deveres com os filhos
Foto: Getty Images

A separação dos pais é sempre dolorosa para os filhos. Para que a vida deles não fique ainda mais difícil, os pais precisam agir com muita responsabilidade. Mesmo que esteja com raiva ou decepcionada com o ex-marido, a mãe jamais deve usar as crianças para atingi-lo – e vice-versa.

”Quando a situação não é bem resolvida, a criança sente raiva do pai, porque vê a mãe sofrendo”, diz a psiquiatra e psicanalista Evelyn Vinocur, do Rio de Janeiro. ”Por outro lado, quando os pais se separam mas mantêm uma relação amigável, a criança supera a fase sem traumas.”

O diretor de cinema Alan Minas está entre os pais que sofrem por não poder ver os filhos após a separação. Há nove anos sem poder ver a filha, ele decidiu fazer o documentário ‘A Morte Inventada’. ”Muitos pais desistem devido às dificuldades”, diz Alan.

”Muitas mães usam a criança como trunfo e não enxergam a bola de neve negativa, de raiva e rancor. Isso pode gerar transtornos psicológicos para toda a vida da criança”, explica Evelyn. Não caia nessa armadilha!

É pai dele, não se esqueça disso! 

Não divida a raiva que sente do ex com seu filho. Nunca diga as frases abaixo

. De quem você gosta mais: de mim ou do seu pai?

. Se você gostasse de mim de verdade, não falaria com seu pai, que me faz sofrer.

. Seu pai só quer saber da nova família agora.

. Seu pai não presta, ele nos largou!

. O papai está morto e enterrado. Não fale mais dele perto de mim.

. Seu pai não gosta mais de nós. 

Separe bem as relações 

O que acabou foi o relacionamento de marido e mulher. A relação com os filhos continua para o resto da vida. Tanto o pai quanto a mãe são fundamentais para o desenvolvimento da criança. Caso contrário, seu filho pode sofrer. E tenha certeza de que isso é uma bola de neve. Ele pode até desenvolver distúrbios psicológicos, dentre os quais: 

. Insegurança
. Medos excessivos
. Baixa autoestima
. Ansiedade
. Depressão

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s