Por que os pais devem acompanhar a rotina escolar do filho?

Os especialistas garantem que a proximidade entre os pais e a escola aumenta o desempenho e o rendimento do aluno. Saiba como contribuir para o seu filho ser nota 10.

“Saiba o que seu filho está aprendendo, troque informações, elogie as conquistas e aponte, com carinho, as áreas que precisam ser melhoradas”
Foto: Getty Images

A maioria dos pais sabe que uma boa formação educacional é importante para garantir um futuro bem-sucedido para os filhos. Porém, quando o assunto é o jeito como a família lida com a educação, alguns deslizes ainda são comuns. O primeiro é dar pouca importância ao aprendizado na infância – no Brasil é exigido por lei que os pais matriculem as crianças na pré-escola aos 4 anos para iniciar a educação básica. “Esse começo é essencial para que o pequeno entenda e valorize a questão do aprendizado”, diz a pedagoga e mestre em educação Doroteia Bartz, de São Paulo.

Outro erro é encarar a rotina de casa e da escola como coisas independentes, sendo apenas o segundo ambiente o responsável pelo sucesso da aprendizagem. Um levantamento feito pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE)* apontou que priorizar os vínculos entre famílias e escolas é uma das políticas que devem ser adotadas para melhorar o ambiente de aprendizado. A conclusão da pesquisa é que se os pais não acompanham a rotina escolar do filho, o empenho nos estudos fica comprometido e o índice de faltas é maior.

A cumplicidade começa em casa

O recado é o seguinte: seja qual for a idade e a fase escolar do seu filho, interaja com a rotina de estudos e o processo de aprendizagem dele. E acredite, o melhor lugar para isso é em casa. Para começar, crie um ambiente convidativo ao estudo: selecione um espaço com iluminação e temperatura adequadas, além de deixar os materiais necessários acessíveis. É desejável ainda que você ajude a criança a definir um cronograma de tarefas equilibrado, que contemple o momento da lição e também do descanso e das brincadeiras. A hora do estudo é sagrada e deve ser acompanhada de perto pelos pais, assim é possível se inteirar do conteúdo que está sendo trabalhado em sala de aula, auxiliar nas dúvidas e avaliar como está o desempenho da criança. “Dessa forma, as dificuldades podem ser percebidas logo e comunicadas à escola para que se busquem estratégias que ajudem o aluno a evoluir”, aponta Doroteia. Mais atitudes que capacitam a criança a alçar voos mais altos na vida escolar:

· Estimular a leitura

Ler amplia o vocabulário, a criatividade e os conhecimentos gerais. Filhos que veem os pais lendo livros, revistas e jornais se encantam pelo universo da leitura facilmente.

· Abordar os temas aprendidos na escola

Conversas em família sobre as matérias que estão sendo vistas no colégio ajudam a despertar e a construir o raciocínio e o senso crítico. Para tornar o papo interessante, ilustre-o com matérias de revistas, filmes e até mesmo com passagens que aconteceram no cotidiano de vocês. “Os jogos de tabuleiro também podem ser ferramentas úteis, pois ajudam a reforçar a convivência familiar ao mesmo tempo que divertem e exercitam noções de estratégia, planejamento, habilidades pessoais, o respeito às regras e o trabalho em equipe”, diz a psicóloga Rosana Augone (SP), que acumula 20 anos de experiência na educação infantil.

Família x escola

A continuidade do trabalho da escola em casa é só uma das etapas a ser considerada quando o assunto é o envolvimento dos pais na vida escolar dos filhos. Para garantir o sucesso da criança, é preciso também interagir com as atividades da escola. Você já participa das reuniões nas quais pais e professores se encontram para debater a evolução do aluno? Ok, mas não é só. Eventos, como a feira do livro, são boas oportunidades para avaliar o aproveitamento da criança e o seu desenvolvimento emocional, além de se aprofundar no conhecimento da proposta pedagógica da escola. “Ainda é possível conhecer os pais de outras crianças e os funcionários que interagem com o seu filho. Ao se sentir à vontade com o universo dele, fica fácil ser atuante”, pontua a coordenadora Rosana Nunes***. “A presença dos pais no ambiente de ensino também reflete positivamente na sensação de segurança das crianças, um ponto fundamental para o desenvolvimento, sobretudo das novinhas”, completa Doroteia.

Escola x família

O engajamento dos pais na vida escolar dos filhos só é 100% quando a escola abre as portas, mostra o que espera deles e propicia formas de interação. Na França, por exemplo, existe um projeto chamado Caixa de Ferramentas. Os pais recebem um DVD com informações a respeito do ano letivo e são convidados a participar de reuniões para saber do desempenho dos filhos, como a escola se organiza, como ajudar na lição de casa, além de receber dicas de saúde. Enquanto a moda não pega por aqui, o jeito é dialogar com a escola. Procure coordenadores e professores, pergunte como pode contribuir, reúna-se com outros pais para trocarem informações em grupos de discussão ou até mesmo nas redes sociais, proponha eventos para socialização. A gente bem sabe que a vida é corrida e que, às vezes, parece não haver tempo suficiente para atuar em todas as áreas que nos solicitam, mas, nesse caso, o retorno será gratificante. “É preciso entender de uma vez que a nota é apenas a consequência de um processo maior. De fato, nada ocorre se a criança em questão não tiver empenho e vontade, mas com a família por perto para estimulá-la e dar suporte tudo fica mais agradável”, finaliza Doroteia.

* Coordenadora do ensino médio do colégio humboldt (SP) ** divulgado em 2012 *** do ensino fundamental i do colégio hugo sarmento (SP)