Raiva: proteja seu bicho da doença

Saiba o que fazer para evitar que seu cachorro ou gato contraia raiva, doença que tem mais casos em agosto

Raiva: proteja seu bicho da doença

A vacina antirrábica protege seu animal contra a raiva e é oferecida de graça no Brasil
Foto: Getty Images

Você certamente já deve ter ouvido alguém dizer que ”agosto é mês do cachorro louco”. Embora a expressão pareça uma brincadeira, como a maioria dos ditos populares, esse também se baseia em um fato verdadeiro: este é o mês em que aumentam os casos de raiva, principalmente entre os cachorros. ”Nesta época, há mais cadelas no cio. Na disputa por elas, os machos brigam, aumentando a transmissão”, explica o veterinário homeopata Marcos Fernandes, da clínica Mooca Pet Center, em São Paulo.

A doença, que não tem cura, pode ser transmitida pela saliva de animais infectados e pode causar até a morte. Confira abaixo as dicas do Dr. Marcos Fernandes para se proteger (e também seus animais) da raiva.

 

Raiva – tire suas dúvidas sobre a doença

O que é a raiva?
É uma doença infectocontagiosa provocada por um vírus, também conhecida pelo nome de hidrofobia, que causa a morte do animal contaminado.

Que animais podem contrair raiva?
Os mamíferos, ou seja, qualquer animal que mama (cães, gatos, vacas, cavalos, morcegos, etc.) – inclusive o ser humano.

Como a raiva é transmitida?
Através do contato com a saliva contaminada. A maioria dos casos acontece por meio de mordidas de animais com raiva.

Quais os sintomas da raiva?
Medo ou aversão à água, salivação excessiva e distúrbios neurológicos como convulsões, tonturas, dificuldade para caminhar e falta de coordenação motora. Os sintomas são os mesmos para bichos e pessoas.

Existe tratamento para raiva?
A raiva não tem tratamento. Quando o diagnóstico é confirmado, o cão ou gato infectado precisa ser sacrificado, no próprio consultório veterinário.

A raiva pode matar seres humanos também?
Há relatos de pessoas que sobreviveram à doença, mas tiveram sequelas. Felizmente, o último caso confirmado de raiva no Brasil aconteceu há mais de dez anos.

O que fazer se for mordida ou arranhada por um animal suspeito de ter raiva?
A primeira coisa é procurar um hospital para avaliação médica. Se o médico entender que há probabilidade do paciente ter contraído raiva, ele fará um curativo e aplicará o soro antirrábico (que é a garantia contra a raiva). Antigamente, o paciente levava 20 injeções na barriga – hoje, é só uma.

E o dono do animal?
Ele deve levar o gato ou cachorro ao veterinário para confirmar ou não o diagnóstico de raiva. Se o cão tomou a vacina antirrábica, é praticamente nula a possibilidade de o indivíduo ou animal atacado contrair raiva.

Como protejo meu bicho de estimação da raiva?
Com vacina antirrábica, que deve ser reaplicada todo ano e é oferecida de graça nos Centros de Controle de Zoonoses. No veterinário, a aplicação custa entre R$ 20 e R$ 40. Além disso, impeça o acesso do animal à rua, especialmente em agosto.