Será que as crianças precisam de tantas atividades?

As crianças andam cheias de estímulos e muitas aulas de balé, natação, inglês... E podem estar aproveitando pouco a infância. Veja como mudar isso

Acordar às 6h30, ir pra escola, voltar pra casa. Segunda tem aula de inglês, terça, terapia, quarta tem inglês de novo e quinta, reforço. Sexta? Aula de artesanato infantil! Será que as nossas crianças não estão com compromissos demais e ficando sem tempo para brincar ou para não fazer nada? Atualmente, os pais sentem tanta necessidade de preparar os filhos para o futuro que acabam exagerando. Com isso, as crianças crescem de forma acelerada e pulam etapas. Que tal pensar duas vezes antes de matricular seu filho em mais uma atividade? Conversamos com Paulo Sergio Fochi, coordernador do curso de especialização em educação infantil da Unisinos, e a psicóloga Vera Zimmermann, do Centro de Referência da Infância e Adolescência da Unifesp, para conhecer as principais questões. Confira:

A educação das crianças hoje x como ela deveria ser

Como é: Os pequenos têm muitos afazeres durante a semana e horário para tudo. Em casos extremos, ficam sem tempo até para brincar.
O ideal: eles precisam de tempo livre para imaginar, descobrir, construir os próprios brinquedos e não fazer nada também!

Como é: muitos pais não consultam os filhos e decidem sozinhos o que eles vão fazer durante a semana, quais aulas vão frequentar.
O ideal: decidam juntos o que eles vão fazer e não exagere. O excesso de compromissos impede que absorvam as experiências.

Como é: eles estão expostos a assuntos que não correspondem à idade. Muitos pais acreditam que os filhos têm uma inteligência acima da média e, por isso, oferecem estímulos indicados a crianças mais velhas.
O ideal: a vontade de conhecer ou fazer coisas de “gente grande”, como participar de conversa de adulto, é normal, mas os pais precisam ser firmes e explicar que a criança tem que esperar o tempo certo de tudo.

Como é: o adulto tenta incentivar demais o desenvolvimento das crianças e frequentemente não deixa que elas explorem o mundo por conta própria.
O ideal: Estimule seu filho a brincar bastante, participe, mas deixe que ele tenha um tempo só dele. Experimente levá-lo ao parque e deixe-o descobrir o espaço sozinho.