Taís Araújo chora ao lembrar da culpa de não conseguir amamentar 2º filho

O momento aconteceu durante o programa "Lady Night" e Tatá Werneck também não conseguiu conter as lágrimas ao falar das inseguranças da primeira gestação.

A quarta edição do programa “Lady Night”, da Tatá Werneck, já começou com tudo. Na última terça-feira (16), a convidada da noite foi a atriz Taís Araújo. Sempre com muita risada garantida pelo bom humor da apresentadora, dessa vez o público foi surpreendido com um momento de muitas lágrimas. Isso porque elas dialogaram sobre maternidade e o assunto acabou sendo delicado para ambas.

Mãe de João Vicente (8) e Maria Antônia (4), Taís explicou que não conseguir amamentar a filha foi sinônimo de uma culpa desoladora. “Eu tive uma infecção renal e estava tomando antibiótico no final da gravidez. E aí não pode amamentar, mas eu só fiquei sabendo disso na hora em que eu fui parir. E aí, quando eu fui tentar dar de mamá para ela, ela não quis mais. Aí, amor, era ela chorando de um lado e eu chorando do outro”, desabafou a atriz com a voz embargada.

Taís também contextualizou que a ajuda nesse período veio principalmente da sua irmã, Cláudia. “Ela falou ‘cara, deixa de bobeira. Não é isso que vai criar sua relação com a sua filha. Amamentar é muito legal. Você conseguiu do seu primeiro, lindo. Não conseguiu na sua segunda? Você vai criar vínculos de outra maneira'”. O conselho da irmã também foi importante para lembrar Taís de que o foco precisava ser estar saudável psicológica, emocional e fisicamente para cuidar da pequena.

Só que essa mudança de enxergar a situação com mais praticidade não é simples assim de acontecer. Com muita sinceridade e lágrimas nos olhos, Taís falou sobre o principal sentimento que veio à tona por não conseguir amamentar a filha. “Eu me sentia tão culpada, sabe? De uma coisa que eu não tinha culpa nenhuma”. Esse desabafo fez com que Tatá se sentisse confortável para dizer como a mesma sensação tem tomado conta dela durante a primeira gestação, fruto do relacionamento com o ator Rafael Vitti.

“Ser mãe gera muita culpa mesmo, porque a gente não sabe como agir. A gente sempre vai errar de alguma maneira. Eu, por exemplo, estou passando mal e saio daqui para fazer o ultrassom por medo de ter feito demais. E aí falaram ‘por que você não abre mão de trabalhar?’. Mas eu não quero abrir mão de trabalhar, só que ao mesmo tempo eu não quero perder nada da minha filha. Morro de medo de que tipo de mãe eu vou ser. Se eu vou ser uma mãe boa o suficiente…”, revelou Tatá sem também conseguir conter as lágrimas.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆