10 programas da TV Cultura que marcaram a nossa infância

Porque é basicamente impossível falar de infância nos anos 1990 sem falar em TV Cultura, né? Sdds!

Pode acreditar, na semana passada Mundo da Lua completou 25 anos! A primeira exibição desse clássico rolou no dia 6 de outubro de 1991 e marcou época, mas a série protagonizada por Lucas Silva e Silva está longe de ser o único icônico programa infantil da TV Cultura.

Entre produções originais e atrações gringas, as tardes da emissora faziam muuuito sucesso entre o público infantil e juvenil. Bateu uma nostalgia? Então relembre aqui 10 programas icônicos!

Glub Glub

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Como esquecer dos peixinhos que deixavam a gente se perguntando: “Cara, como eles conseguem fazer esses efeitos especiais?!” O programa era meio lisérgico e mostrava dois peixes que passaram a apresentar o programa depois que um aparelho de TV caiu no mar. A proposta era mostrar desenhos educativos, bem diferentes daqueles bem comerciais veiculados pelas outras emissoras. Curiosamente, além de muita maquiagem e fundo verde, a produção também utilizava um aquário de verdade que ficava entre a câmera e os apresentadores, para dar aquele efeito de bolhas. Glub Glub foi exibido de 1991 a 1999.

X-Tudo

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Foi um dos programas infantis mais duradouros da TV Cultura, com o primeiro episódio inédito veiculado em abril de 1992 e o último em novembro de 2002. O personagem principal era um simpático boneco vermelho em formato de X, que interagia com adultos e crianças. A ideia do X-Tudo era falar sobre assuntos variados, como curiosidades educativas, dicas de leitura e até culinária adaptada ao público infantil.

Rá-Tim-Bum

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

A atração que deu origem ao fenômeno Castelo Rá-Tim-Bum não fez tanto sucesso quando seu sucessor, mas também foi muito icônico. O formato usado no programa era algo jamais visto na televisão brasileira e Rá-Tim-Bum tinha um estilo viajandão muito próprio, que ia do psicodélico ao macabro. A equipe do programa contava com grandes nomes como Marcelo Tas, Carlos Moreno (o clássico garoto propaganda da Bom-Bril) e Fernando Meireles (na direção geral). Rá-Tim-Bum chegou a ganhar o prêmio de Melhor Programa Infantil no Festival de Nova York. Seus episódios foram gravados de 1990 a 1994.

O Mundo de Beakman

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Numa época em que a gente nem sonhava com YouTube ou Netflix, a TV Cultura mandava muito bem ao trazer programas internacionais diferentões – e de qualidade – à televisão aberta. O Mundo de Beakman certamente se destacava nesse quesito e fez toda uma geração almejar a carreira de cientista. O programa comandado por Beakman, a ajudante Rosie e o rato Lester foi ao ar na Cultura originalmente entre 1994 e 2002, depois passou pela Record e voltou à emissora em 2011.

Anos Incríveis

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Outra atração estrangeira que marcou época, Anos Incríveis foi veiculado pela primeira vez no Brasil em meados dos anos 1990. Por conta do sucesso que fez na grade da TV Cultura, mais tarde o programa passou a ser exibido pela TV Bandeirantes e pelo Multishow. Nos Estados Unidos, a série durou de 1988 a 1993 e contava a história de Kevin, um garoto vivendo os perrengues da adolescência entre as décadas de 1960 e 1970.

Confissões de Adolescente

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Mirando o público mais crescidinho, a TV Cultura resolveu lançar sua própria série teen em 1994 e o sucesso foi enorme. O mais bacana é que, ao contrário de Anos Incríveis, Confissões de Adolescente era focada na história de meninas. A trama girava em torno de quatro irmãs que moravam com o pai no Rio de Janeiro, e alavancou a carreira de ninguém menos do que Deborah Secco – ela tinha 15 anos na época. O programa foi inspirado no livro homônimo de Maria Mariana e ousou ao abordar temas bem polêmicos como gravidez indesejada e uso de drogas. A série durou pouco mais de um ano, foi reprisada pela Band, Nickelodeon e Multishow, e inspirou um filme de mesmo nome, em 2013.

Mundo da Lua

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

O seriado contava a história de um garoto de 10 anos, o Lucas Silva e Silva, que ganha um gravador do avô e passa a criar histórias mirabolantes. Curiosamente, o formato que foi ao ar não era o original. Quatro episódios chegaram a ser gravados com o cenário de um apartamento – ao invés da clássica casa – e alguns atores diferentes. Muita gente nem lembra, mas Mundo da Lua contava com Antônio Fagundes e Gianfrancesco Guarnieri no elenco, e também foi exibido pela Rede Globo. O ator principal, Luciano Amaral foi selecionado dentre cerca de 300 crianças e mais tarde interpretou o Pedro do Castelo Rá-Tim-Bum. O programa chegou a ser o mais assistido da TV Cultura durante um tempo, mas só durou pouco mais de um ano.

Babar

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Em se tratando de desenhos animados, a TV Cultura também dava show e sempre trazia ao Brasil produções mais alternativas e educativas do que as emissoras concorrentes. Babar certamente é um dos grandes destaques e começou a ser exibido por aqui em 1993.  Inspirado em um livro francês, a série animada era uma produção franco-canadense e chegou a virar filme também. A trama girava em torno do elefante Babar que foi criado por humanos e se tornou rei. Na série, ele aparecia contando aos filhos suas histórias de infância, como quando a mãe foi morta por caçadores.

Cocoricó

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Sem dúvida uma das mais aclamadas produções infantis da TV Cultura, Cocoricó é também a mais duradoura. Foi lançado em 1996, passou por diversas reformulações – o programa chegou a ter transmissão ao vivo durante algum tempo – e parou de ser gravado em 2013. Cocoricó contava com diversos personagens, a maioria deles fantoches e era protagonizado pelo garoto Júlio, que morava numa fazenda. Júlio foi criado e manipulado por Fernando Gomes, um dos mais icônicos bonequeiros da TV brasileira, que também deu vida ao X de X-Tudo, personagens do Castelo Rá-Tim-Bum e ao Garibaldo da Vila Sésamo. O programa ainda é exibido diariamente pela emissora.

Castelo Rá-Tim-Bum

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Para finalizar, apenas o mais icônico de todos os programas infantis da TV Cultura! Inicialmente, a série foi pensada como uma continuação de Rá-Tim-Bum, mas o esmero na produção e nos cenários foi tão grande, que a emissora resolveu criar um programa totalmente novo. E a ideia deu muito certo! Como esquecer do Nino, o bruxo adolescente de 300 anos que morava com os tios-avós num castelo? É inegável que nos anos 1990, 10 entre 10 crianças desejaram ter a mesma sorte de Biba, Pedro e Zequinha! O Castelo Rá-Tim-Bum foi gravado entre maio de 1994 e dezembro de 1997 e teve mais de 90 episódios. A série acabou virando peça de teatro, musical, livros e histórias em quadrinhos, além de ganhar exposições temáticas em museus. Os episódios são reprisados até hoje, de segunda a sábado. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s