10 tradições da chegada do bebê real que (talvez) Meghan e Harry cumpram

Conheça os protocolos que envolvem o nascimento de um membro da família real.

A chegada do primeiro filho de Meghan Markle e Princípe Harry, prevista entre março e abril, está próxima e nós ficamos cada vez mais ansiosas para conhecer o novo bebê real. Mas enquanto ele não chega, aproveitamos para ficar por dentro dos protocolos que envolvem o nascimento de um membro real – já que fazemos quase parte dessa família, né? (Sonho!)

Muitas dessas tradições estão presentes há gerações e presenciamos, recentemente, algumas no nascimento do pequeno Louis, caçula do Princípe William e da duquesa Kate Middleton. Logo saberemos se elas serão continuadas por Harry e a duquesa de Sussex ou se o casal mais ousado da realeza vai continuar quebrando protocolos. Veremos!

1. Sexo da criança e o nome são sigilosos

Esse protocolo é o que mais agita todo mundo, com certeza. Assim que acontece o anúncio da gravidez, já começam os muitos palpites acerca do sexo e, principalmente, do nome, que, como regra, só devem ser revelados após o nascimento. Lembra que com o Príncipe George e a Princesa Charlotte, tivemos que esperar dois dias antes de descobrir seus respectivos nomes? Segura a ansiedade! Nós já temos nossas apostas e vocês?

2. O bebê tem três ou quatro nomes

Nome composto? Mais do que isso, os membros da família real recebem pelo menos três nomes, como é o caso dos caçulas George Alexander Louis, Charlotte Elizabeth Diana e Louis Arthur Charles. Por outro lado, não é necessário colocar um sobrenome. Tem que ter criatividade, hein?

3. O parto acontece em um hospital

Antes, a tradição era as mães darem à luz em casa, como a Rainha Elizabeth, que nasceu em uma residência em Mayfair. Só depois do nascimento de William, primogênito da Princesa Diana, as coisas mudaram e os novos herdeiros começaram a nascer em uma ala especial no Hospital St. Mary, em Londres. Com Harry foi assim e a tradição continuou no nascimento de George, Charlotte e Louis.

Ainda não sabemos se o parto de Meghan será no mesmo local. Surgiram boatos de que ela poderia ter seu bebê bem mais próximo da sua nova casa com o príncipe Harry, em Windsor, no Hospital Frimley Park, em Surrey. Por outro lado, uma fonte revelou que funcionários da ala “real” do St. Mary foram convidados a não tirar férias em abril, indicando que a duquesa de Sussex pode seguir os passos da cunhada. Será que mais um protocolo será quebrado ou não?

4. O bebê é entregue pelos ginecologistas da realeza

A família real tem seus próprios ginecologistas oficiais que são responsáveis pela entrega dos pequenos herdeiros. Nos últimos três nascimentos reais, inclusive o mais recente, Louis em abril do ano passado, os profissionais eram o cirurgião-ginecologista Alan Farthing e o obstetra consultor da realeza Guy Thorpe-Beeston. Além da equipe médica, parteiras também ficam presentes durante todo o processo.

5. A rainha é a primeira a saber do nascimento

Nada de postar logo no Instagram, a primeira pessoa que deve saber da chegada de um novo bebê real é a rainha Elizabeth II. O anúncio é feito por contato telefônico em sigilo. Justo, né?

6. O anúncio do nascimento é exibido no Palácio de Buckingham

Mesmo com a internet e tecnologias, eles não abriram mão de um anúncio tradicional – um aviso sobre um cavalete é colocado do lado de fora do Palácio de Buckingham. A nota, que agora passou a ser digitada, apresenta o sexo, a hora do nascimento do bebê, além da confirmação de que mãe e filho(a) estão bem. O aviso é assinado por médicos no hospital, antes de ser entregue em segurança ao palácio. 

7. São disparados 62 tiros de canhões na Torre de Londres

Depois do anúncio do parto, membros da artilharia montada da tropa real disparam 62 canhões na Torre de Londres e em um parque da cidade. Outros castelos no Reino Unido também realizam os disparos. 

8. O bebê usa um cobertor especial para sua primeira aparição

Para a “apresentação” para o mundo todo, os bebês reais são tradicionalmente envoltos em um cobertor feito pela empresa de malhas G.H., de Nottingham. A tradição começou em 1948, quando a rainha escolheu envolver o Príncipe Charles, recém-nascido, em uma destas malhas. Depois, a Princesa Diana fez o mesmo com os príncipes William e Harry, seguida pelo filho e por Middleton com seus três rebentos.

9. Os novos pais posam para fotos com o bebê

Está aí uma tradição que a gente ama! Antes tínhamos que esperar o batizado da criança, que poderia levar meses, para ver o primeiro clique da família completa. Felizmente, agora os pais costumam posar nos degraus do lado de fora do hospital com seu novo amorzinho no colo. Esperamos muito que Meghan e Harry façam o mesmo! Imagina que lindos…

10. A criança tem muitos padrinhos

Os príncipes e princesas costumam ter cerca de 6 padrinhos ou madrinhas. George, por exemplo, tem 7 e Charlotte tem 5. Detalhe: os escolhidos não podem ser da Família Real. Quem você escolheria?