71 anos de casados: a história da Rainha Elizabeth II e do Príncipe Philip

71 anos de casados e uma grande trajetória de reinado.

Nesta terça-feira (20), a rainha Elizabeth II e o duque de Edimburgo, o príncipe Philip, completam 71 anos de casório. Esse é o casamento mais duradouro da realeza britânica. Ela, aos 92 anos, e ele, aos 97, celebram a longevidade e a tradição em meio a várias realizações e acontecimentos na família real até este ano.

Elizabeth II tinha apenas dez anos de idade quando a linha sucessória da realeza britânica  se tornou assunto sério. Seu tio, o rei Edward VIII, abdicou o trono para se casar com a americana Wallis Simpson em 1936, e deixou o irmão – pai de Elizabeth – assumir o reinado. Com George VI à frente da monarquia, a jovem seria a primeira na linha sucessória, seguida de sua irmã caçula Margaret. Ele reinou até 1952, ano de sua morte. Aos 27 anos, Elizabeth Alexandra Mary já era rainha da Inglaterra.

Filho do príncipe André da Grécia e Dinamarca e da princesa Alice de Battenberg, Philip viveu a infância e a juventude na França, após ter sido expulso da Grécia – local onde nasceu – junto à sua família. O rapaz estudou na Alemanha, na Escócia e na Inglaterra, e teve uma conexão maior com este último pais, devido ao seu avô materno, o Príncipe Luís de Battenberg (ou Luis Mountbatten). Em 1939, Philip, com seus 18 anos, entrou na Marinha Real Britânica e serviu o país na Primeira Guerra Mundial e, posteriormente, na Segunda Guerra Mundial também.

Encontro e casamento

 (AFP/Reprodução)

No mesmo ano em que serviu à Marinha Britânica, Philip conheceu a futura rainha em uma visita dela com seus pais à Escola Naval de Dartmouth. A partir desse encontro a história de amor deles emergiu e decolou numa só vez. A história que se sabe é que Elizabeth passou a trocar cartas com Philip enquanto a Segunda Guerra eclodia e ele participava do confronto no Mediterrâneo e no Pacífico. Só no fim da batalha, em 1946, Philip conseguiu a permissão do então rei George VI para se casar com Elizabeth.

Para garantir tal feito, ele precisou abdicar de seus títulos gregos e dinamarqueses, se converter ao anglicanismo, que é a religião oficial da Inglaterra, e finalmente se naturalizar como cidadão britânico, adotando Mountbatten como seu sobrenome, assim como o avô.

O casal ficou noivo no dia 9 de julho de 1947 e subiram ao altar cinco meses depois, em 20 de novembro de 1947, na Abadia de Westminster. Philip recebeu o nobre título de Duque de Edimburgo e permaneceu na Marinha até a morte inesperada do pai de Elizabeth e sua transição para o trono em 1952.

 (Royal.uk/Reprodução)

Celebração e descendentes

No aniversário de casamento do ano passado, a celebração ocorreu com um belo jantar no Castelo de Windsor, ao som dos sinos da Abadia de Westminter, onde uniram os votos pela primeira vez. Neste ano, é esperado algo mias privado. O Príncipe Philip está aposentado da vida pública desde o último ano, então não comparecerá a nenhuma cerimônia oficial. Já a rainha deve se juntar ao 150º aniversário da Real Instituição de Topógrafos de Londres.

Juntos, Elizabeth II e o Duque de Edimburgo têm quatro filhos (Charles, Andrew, Edward e Anne) oito netos (Harry, William, Louise, Zara, Peter, Eugenie, Beatrice e James) e sete bisnetos (Louis, George, Charlotte, Savannah, Isla, Mia e Lena).

Elizabeth, sem dúvidas, é muito respeitada pelos cidadãos britânicos, assim como Philip. E não são só eles e seus filhos que ficam famosos pelos acontecimentos da realeza, não! As cônjuges dos príncipes Harry e William, Meghan Markle e Kate Middleton respectivamente, sempre dão o que falar e nos enchem de novidades.