Andréa Beltrão comemora sucesso

A atriz se divide entre a Marilda de "A Grande Família" e a Elen de "Som e Fúria"

Andréa Beltrão não pensar em atuar novamente em novelas
Foto: Daniela Dacor

Mesmo sem fazer uma novela desde “As Filhas da Mãe” (2001), Andréa Beltrão não sai da telinha. Participou de “Os Normais” (2002), “Os Aspones” (2004) e, desde 2002, dá vida a Marilda, de “A Grande Família”.

Mas, a partir desta semana, a atriz empresta seu talento também a Elen, a protagonista da minissérie Som e Fúria. “Não dá para conciliar novela com as gravações do seriado, mas outros projetos eu consigo (levar). Novela é um trem: quando a locomotiva apita e sai andando, tem que ir todo mundo junto”, explica a carioca.

E, segundo ela, o barato de Som e Fúria é a chance de poder mostrar os bastidores do ofício do ator, as angústias, as vaidades, as brigas, os desejos… “Você não enjoa do seu trabalho quando exerce a profissão de que gosta, seja ela qual for. Isso é a essência do que você está fazendo”, filosofa.

Apesar do envolvimento com a nova produção da Globo, A Grande Família é mesmo seu orgulho: “Participar da série é o paraíso dentro da TV. Adoro fazer e ainda me permite, de vez em quando, passear por projetos especiais, como Som e Fúria. Não vejo nada melhor para minha vida”, comemora a estrela, que elege os roteiristas como as verdadeiras estrelas do programa: “Eles são inexplicavelmente uma fonte inesgotável de boas histórias. Mesmo com um elenco maravilhoso e um diretor incrível, se a história é ruim, não dá pra suportar”.

Andréa não esconde a falta de interesse de voltar a atuar em novelas, mas confessa que adora assisti-las. Acompanhou A Favorita (2008) do início ao fim e, agora, não perde um capítulo de Caminho das Índias. E ainda dá seu palpite: “Maya (Juliana Paes) tem que ficar com o Raj (Rodrigo Lombardi). Ele não mente, não peca… Raj é bonito com aquele narigão, um homem charmoso… Rodrigo está muito bem no papel”.

Por incrível que pareça, a estrela garante que o público não a reconhece na rua. “Às vezes, eu gosto de poder passar de fininho em algumas situações. Mas, quando estou de baixo astral, acho ruim”, admite ela, que atribui essa “invisibilidade” à caracterização de Marilda. “Ela tem cabelão, unhas compridas, peitão, tudo diferente de mim. Marilda é praticamente uma escola de samba”, diverte-se.

No auge de seus 45 anos, Andréa corre todos os dias 40 minutos na areia fofa para não precisar fazer regime: “Como de tudo! Comer é uma das melhores coisas do mundo”, conta a atriz, que ama cosméticos: “Experimento tudo o que é novo e revolucionário! Adoro! (risos)”.