Bruna e Keyla: vozes diferentes que se harmonizam no palco; conheça a dupla feminina

Cantoras comemoram o lançamento do primeiro disco, que conta com a participação de Eduardo Costa

Bruna e Keyla uniram os sons agudo e o grave que, em harmonia, deram certo
Foto: Divulgação

Uma é cantora lírica e outra cantava em banda de baile. Uma tem a voz grave e a outra aguda. E foi graças ao percussionista que trabalhava com Bruna, 31, que ela conheceu Keyla, 27, e ambas formaram a dupla Bruna e Keyla que, ao ganhar um quadro do programa Raul Gil, lançou o primeiro disco, Bruna e Keyla, assinado pela Sony Music.

“As vozes se harmonizam e se completam e isso chamou a atenção das pessoas, que gostam do nosso jeito de cantar”, disse Bruna em entrevista por telefone à Contigo! Online.

Antes da dupla

Bruna conta que a música lírica faz parte de sua vida desde os 10 anos, quando começou a cantar. “Fui solista em vários corais e em 1997 eu comecei a cantar MPB por acaso e fiz um trabalho pessoal misturando lírico e MPB. Mas eu via que ainda não era aquilo o que eu queria com a música”. A cantora foi para Salvador, onde ficou 3 anos com um projeto: “Eu gosto muito de brincar com o povo, de animar quem está vendo o show”.

Já Keyla trabalhou com banda de baile, sendo sua principal escola, os barzinhos de Belo Horizonte, onde cantava apenas em voz e violão, influenciada pela MPB, além de John Mayer, Jorge Vercillo. “O intimista sempre fez parte da carreira dela”, explica a parceira de palco.

Formação

De volta a Belo Horizonte, Bruna disse que ficou sem rumo sobre o que fazer, mas o desejo de focar na música nunca ficou de fora. Formada em Jornalismo, a cantora começou a trabalhar na área: “Mas não estava satisfeita”, revelou.

E um amigo deu a ideia de Bruna formar uma dupla. “Essa vida de cantora, sempre estamos muito sozinhas, no meio de um monte de homem. E veio a ideia de formar uma dupla feminina. Eu já estava colocando sertanejo no projeto de Salvador, porque a minha família é de Patos de Minas [também em Minas Gerais] e eu sempre gostei do estilo, mas eu não tinha visão de mercado feminino e foi bem na época em que Paula Fernandes estava se destacando”, disse a cantora.

“Conversando com um percussionista que trabalhava comigo, ele me a presentou a Keyla. Eu assisti a alguns vídeos dela cantando no Youtube e na hora eu falei ‘é ela’. E coincidiu dela também estar em uma fase desanimada com a carreira. Então demos as mãos, ela aceitou o convite na hora”.

“Ela é mais romântica, sempre está com o violão na mão, ela é um Victor [se referindo ao cantor que forma dupla com Leo]. Então juntamos o romantismo dela e com a minha animação no palco, o que cada uma tem de melhor para ficar uma coisa verdadeira que é possível ver no nosso disco”.

Bruna e Keyla: vozes diferentes que se harmonizam no palco; conheça a dupla feminina

Dupla lança primeiro disco pela Sony Music com participação especial de Eduardo Costa
Foto: Divulgação

Mercado

Em um meio em que duplas são, em sua maioria, formadas por homens, além dos solos também serem masculinos, Bruna lembra um exemplo que é referência para todos os cantores: “As Galvão estão ai para mostrar que o sertanejo também é possível ter o toque feminino. E a nossa ideia é representar as mulheres. No nosso show não tem nada pejorativo, nada do que esteja a frente do que a gente queira cantar”, ressalta.

Quadros musicias

Antes da formação da dupla, cada uma tentou se destacar na carreira musical por meio de quadros e programas focados em encontrar um talento na música. Bruna esteve no programa Raul Gil, enquanto que Keyla participou de algumas etapas do programa Ídolos.

Para Bruna, as participações nos programas não só ajudou as cantoras, como também acrescentou em muito na bagagem musical. E foi graças a esses programas que a dupla conseguiu lançar o primeiro disco com o selo da Sony Music. Ao lado de Keyla, Bruna voltou ao programa do apresentador Raul Gil, exibido pelo SBT, no quadro “Mulheres que Brilham”.

“A participação surgiu de uma forma inusitada”, explicou Bruna. “A Keyla recebeu o convite para participar do programa neste quadro. Ela me ligou falando e que não queria ir sozinha. Então ela falou sobre a dupla e o pessoal aceitou fazer um teste. Mas eu não disse que era eu, porque já tinha participado do programa e fiquei com medo deles acharem algo ruim eu voltar, mas eu fui muito bem recebida. O Raul Gil me viu, lembrou de mim com muito carinho”, completou.

A cantora ainda disse que a ideia inicial era apenas participar do programa para quem sabe conseguir um empresário que investisse na dupla. A ideia de ganhar não passava pela cabeça das cantoras. “A gente nunca achava que ia passar de etapa. E fomos colocando nas apresentações tudo o que fazemos no show, dançamos até country”, lembrou.

O disco

São 14 faixas, sendo 7 assinadas pela dupla que ganhou, na direção do projeto dois nomes de peso: Dudu Borges, em 10 canções, e Laércio Costa, em 4. “Qualquer um dos dois conseguiria fazer o CD inteiro, mas tivemos sorte dos dois participarem da nossa produção. O Laércio deu muita força para nós, antes mesmo do programa”.

Bruna e Keyla ainda contaram com a participação especial de Eduardo Costa na canção “Vem Me Completar”. “Foi muito bacana, foi uma pessoa que a gente queria muito que participasse. E Vem Me Completar é uma música complicada de cantar, tinha que ser com um cara que canta romântico também”, destaca Bruna.

A cantora ainda fez uma análise final do disco: “Ficou romântico e ao mesmo tempo é para cima, que é a característica principal da dupla. O CD está bem a nossa cara”, finalizou.

Assista ao clipe de “Vem Me Completar”:

//www.youtube-nocookie.com/embed/DBmrcG86rDY