Bruna Marquezine: ”Não tenho como controlar o que vão dizer de mim”

No ar como Marizete, a protagonista de I love Paraisópolis, Bruna Marquezine brilha em sua décima novela e avisa que está pronta para fazer uma parada na carreira para estudar e investir em novos negócios

É tanto trabalho que ela mal teve tempo para pensar em seguir outra carreira. “Tenho vontade de estudar outras coisas, mas acho que vou sempre trabalhar com algo muito próximo disso. Se não for na frente das câmeras, será atrás delas. Se não for com TV, será com cinema, fotografia”, conta a atriz, que, apesar da pouca idade, é muito segura quando fala da profissão, mas não esconde a vontade de fazer uma parada estratégica depois de I Love Paraisópolis.

“Quero parar um pouco para estudar, para criar, para pensar nos projetos dos quais desejo participar. Quero trabalhar mais com cinema, por exemplo. Sem contar que nunca fiz teatro e todos os atores que eu admiro vêm desse berço. Ter essa base seria muito importante para mim.”

Sobre a vida pessoal, Bruna pouco fala. Principalmente quando o assunto é a vida amorosa. Ela é alvo constante de boatos sobre seus namoros, ainda mais depois da relação superexposta nas redes sociais com o jogador Neymar, 23 anos, que chegou ao fim no ano passado. Desde então, Bruna já foi vista com o modelo Marlon Teixeira, 24, e agora as fofocas giram em torno de uma suposta proximidade com seu par na novela das 7, o ator Maurício Teixeira, também de 24 anos. Nesta quarta-feira (24), Bruna e Maurício foram os convidados  do programa Mais Você e foram surpreendidos pelo depoimento da mãe do ator confirmando o namoro dos dois.

 “Ainda estou aprendendo a manejar a exposição na mídia, mas agora lido com isso de um jeito mais maduro. Sei que ela é consequência da minha profissão. Se eu escolhi essa carreira, tenho que aprender a suportar tudo isso. Só tento preservar a minha vida pessoal, pois o que tenho de mais interessante para falar é sempre sobre o meu trabalho. O lado pessoal, eu guardo para mim, para me preservar e também a minha família e amigos, que não escolheram essa vida.”

A seguir, Bruna fala sobre seu novo papel, sobre o sonho de ser mãe e sobre a vaidade.

A sua exposição na mídia já foi motivo de sofrimento?
No início, sim. Quando fiz 18 anos, estava interpretando a Lurdinha, de Salve Jorge, e antes mesmo de a novela ir para o ar eu já não era mais vista pelas pessoas como criança. E a Lurdinha ainda tinha um apelo sexual, estava sempre com o corpo à mostra. Foi complicado. Não sei por quê, mas, quando você começa a fazer um papel, tanto o público quanto a mídia têm a necessidade de compará-la ao personagem e, de fato, eu não tinha nada da Lurdinha. Mesmo assim, as matérias ficaram mais pesadas e algumas vezes distorceram o que eu tinha dito. Eu ficava chateada. Hoje sei que não tenho como controlar o que os outros vão dizer sobre mim, o que vão pensar, mas posso controlar o que vai sair da minha boca. A exposição não é uma coisa legal, porém, tenho que passar por isso. Não tem jeito.

É verdade que você sonha em ter filhos gêmeos?
Ser mãe é meu maior sonho e costumo brincar que vou ter gêmeos, que já está tudo certo com Deus, negociamos que vai ser um casal. (risos) Mas não tenho pressa. Só acredito que vou ser mãe jovem. Comecei a trabalhar cedo, sou meio precoce. Só que cedo não significa 19, 20 anos. A minha mãe surta quando me ouve falar essas coisas, mas não sou louca de dar um neto a ela agora. Esse é meu maior sonho e vai ter que ser perfeito.

Recentemente, você fez uma participação em um filme norte-americano, o Breaking Through. Ter uma carreira internacional é um sonho?
Fiz uma miniparticipação, mas valeu muito pela experiência de trabalhar com uma equipe de lá, de saber como as coisas funcionam. Só não vejo uma carreira aqui e outra lá fora. Para mim, não existe essa divisão. É a minha carreira, meu caminho, meu trabalho. Se tiver oportunidade de trabalhar aqui, lá ou em qualquer outro lugar do mundo, basta com que eu me sinta desafiada e eu vou.

Você é vaidosa?
Muito. Aprendi com a profissão porque ela exige um pouco isso da gente. Mas sou meio moleca e tenho um pouco de preguiça de me cuidar às vezes. Gosto de me maquiar, sou a louca do blush e amo batom vermelho, que sempre carrego na bolsa. Quando acho que não estou muito bem-arrumada, basta passar o batom vermelho para que tudo mude. Também tenho no nécessaire um corretivo e um rímel.

Gosta de fazer exercícios?
Estou gostando. Não sei o que aconteceu. Acho que Deus ouviu as minhas orações porque há anos peço isso a ele. Sou preguiçosa para malhar e não gosto de fazer dieta. Assim que acabou Em Família, enfiei o pé na jaca. Fiquei muito tempo sem exercícios e me alimentando mal. Depois de meses, meu corpo já estava pedindo para eu voltar a me exercitar e, principalmente, a me alimentar melhor. Então, mudei completamente. Descobri, por exemplo, que não posso ingerir proteína do leite e várias outras coisas que eu estava comendo em excesso. Agora tento me exercitar pelo menos três vezes por semana. Voltei ao crossfit. Só não posso fazer em excesso porque meu corpo não aguenta. Também tento fazer ioga e pilates sempre que possível.

Qual é a sua relação com a moda?
Eu adoro! Na verdade, tenho dois stylists incríveis, o Juliano Pessoa e o Zuel Ferreira, que são os responsáveis por eu gostar tanto de moda hoje em dia. Com eles, aprendi mais sobre o meu corpo. Antes, ter que estar bem-vestida e de acordo com as tendências era uma obrigação. Com o tempo, consegui me descobrir e aprendi a arriscar, a experimentar coisas novas.

Como você descreveria um dia perfeito na sua vida?
Primeiramente, eu não teria que acordar antes das 10 horas da manhã. Seria um dia em que eu trabalharia, sem a menor dúvida, porque isso me faz muito bem. Um dia em que eu poderia fazer pelo menos uma refeição com a minha família, encontraria os meus amigos, daria um mergulho no mar e acabaria em casa, no meu sofá, assistindo a um filme.