Carolina Ferraz fala sobre sua personagem em O Astro

Carolina Ferraz volta ao ar na pele da determinada Amanda, de O Astro, depois de passar três anos longe das novelas

“Não consigo me identificar com as minhas personagens”, conta Carolina
Foto: Divulgação/Rede Globo

No meio da multidão, a risada de Carolina Ferraz é inconfundível. E a atriz gosta mesmo de dar boas gargalhadas. Aos 43 anos, a intérprete da Amanda, da nova versão de O Astro, retoma o trabalho na televisão após três anos afastada das novelas da Globo (a última foi Beleza Pura).

Esse tempo possibilitou à atriz reorganizar a vida e aproveitar os pequenos detalhes do cotidiano, como curtir a companhia da filha Valentina, de 16 anos, o habitual encontro de quarta-feira para jantar com as amigas, cuidar da casa e estudar. “Fiquei fazendo apenas participações especiais. Eu havia emendado cinco novelas, e chega uma hora em que você tem que parar!” diz, às gargalhadas.

Segundo a atriz, essa pausa foi essencial para voltar mais entregue ao trabalho: “Foi maravilhoso! Fiquei tão mais feliz com tudo, com a vida… A gente volta reciclada, com novas ideias. Retorna com uma disponibilidade maior para tudo”. Aliás, o novo projeto é motivo de empolgação para Carolina, que compara a paixão de Herculano (Rodrigo Lombardi) e Amanda ao caliente romance de Milena, sua personagem em Por Amor (1997), com Nando (Eduardo Moscovis). “Eles são um casal que namora mesmo. Não existe isso de eles ficarem juntos dez capítulos e depois se reencontrarem apenas no final. Desde Nando (Eduardo Moscovis) e Milena (Carolina Ferraz), não aparece um casal que se ama, que briga e fica logo de bem. Isso deixa a trama bem mais realista”, avalia a estrela.

O que você e Amanda têm em comum?

Para dizer a verdade, não consigo me identificar com as minhas personagens. Embora seja eu que esteja fazendo, não penso nisso. Não sei dizer (risos).

Você assistiu a algum capítulo da primeira versão de O Astro?

Não. Não pesquisei e fiz questão de não ver nada. Mas eu me lembro um pouco da atuação da Dina Sfat (que fazia a Amanda em 1977), mas é algo muito vago. Eu tinha 8 anos quando passou a primeira versão. Lembro do turbante do Cuoco (Francisco Cuoco interpretava Herculano) e da música de abertura. Mas acho que não tem muito material disponível sobre a trama.

O que mais te atrai no enredo?

O mais bacana nessa história original da Janete Clair é que Amanda e Herculano estão juntos desde o início. Eles não ficam dez capítulos e depois se encontram apenas no final. Isso é muito legal. Eles têm crises, mas se amam. É bacana ter um casal que namora. Não é lindo, gente? (risos). Acho que, desde Nando e Milena (de Por Amor), não existe um casal que se ama, que namora, que briga e fica de bem. Isso deixa tudo mais realista. As pessoas caminham juntas. Você enfrenta as crises, mas fica junto.

Carolina Ferraz fala sobre sua personagem em O Astro

A atriz em cenas quentes com Eduardo Moscovis em Por Amor
Foto: Divulgação/Rede Globo

Qual é a qualidade da Amanda que você mais admira?

Ela é uma mulher que arca com as consequências das suas decisões. Embora a personagem tenha sido criada há muito tempo, ela é uma heroína muito moderna. Amanda não desiste mesmo quando erra. Isso é muito legal!

É uma personagem humana…

Janete fez isso com todos os personagens que criou. Eles têm defeitos, mas têm qualidades também. Ela humanizou todo mundo. O próprio Herculano, que deu um golpe numa cidade inteira, foi traído pelo amigo. A intenção dele era fazer o que várias pessoas públicas, infelizmente, fazem no Brasil, que é superfaturar uma obra. Mas ele se regenera com o tempo. Amanda tem os problemas com sua família… O pai é viciado em jogo… Amanda tem a vida dela, mas precisa assumir as rédeas da família. É uma guerreira!

Como você se preparou para viver uma personagem tão complexa?

A gente teve a sorte de receber 12 capítulos um mês antes de começar a gravar. Nós tivemos muitas leituras, que foram ótimas. Eu passei por todos os núcleos para ver como era o tom da interpretação e o que acontecia nos outros lugares da trama. E foi assim que surgiu a Amanda.

Você ficou três anos sem participar de uma novela inteira…

Foi mesmo! Fiz apenas a série Na Forma da Lei (2010) e participei da microssérie Amor em 4 Atos, exibida no início deste ano. A verdade é que eu queria mesmo ficar um ano e meio de férias. Emendei cinco novelas… Chega uma hora em que que você precisa parar, não é? (risos)

Carolina Ferraz fala sobre sua personagem em O Astro

Carolina aposta na química de sua personagem com Herculano Quintanilha, vivido por Rodrigo Lombardi
Foto: Divulgação/Rede Globo

E foi bom esse período?

Foi maravilhoso. Eu fiquei tão mais feliz com tudo, com a vida. A gente volta completa mente reciclada, com novas ideias. Você fica fresca, renovada… Volta com uma disponibilidade bem maior para o trabalho.

Do que mais sentiu falta nesse longo período em que emendou uma novela na outra?

Sabe do que eu senti falta? De ter uma rotina fixa, do tipo, eu vou ter de fazer aulas de balé, às segundas, quartas e sextas. Eu sentia falta dessa rotina, de pegar a minha filha, encontrar as amigas… De ter uma vida mais cotidiana. A novela exige uma entrega total. Quando você amadurece na profissão, entende que só pode entrar num projeto desses para contribuir de alguma forma. Se não puder ajudar, é melhor ficar calado. Tem que somar ao todo. Fiquei com saudades dessas coisas que, quando você está gravando novela, não pode fazer.

Em O Astro, Amanda e Herculano se apaixonam à primeira vista. Você já passou por algo parecido?

Gostaria de acreditar que acontece… Aliás, acho que é possível, sim. Já escutei algumas histórias sobre isso, mas, comigo, o máximo que rolou foi uma pessoa me impressionar demais logo de cara. Agora, não sei se ele prestou atenção em mim (risos).