Cláudia Abreu: Vilã de “Cheias de Charme” e mãe de quatro crianças

A atriz conta como concilia as gravações para viver Chayene com a educação dos quatro filhos e o casamento com o cineasta José Henrique Fonseca

Cláudia Abreu como Chayene, seu novo personagem que está fazendo sucesso na novela das 19h “Cheias de Charme”
Foto: TV Globo/Divulgação

Afastada da telinha desde “Três Irmãs” (2008), Cláudia Abreu volta ao ar como o diabo gosta. Vivendo Chayene, em “Cheias de Charme“, a atriz, de 41 anos, vai cantar, dançar e fazer muitas maldades. Tudo com bastante humor, como a intérprete da personagem faz questão de frisar. “É bom porque dá leveza. O humor dela está na forma grosseira que ela usa para falar com as pessoas”, diz Cláudia, que, nesta entrevista, revela como concilia a árdua tarefa de gravar a nova trama das 7, dar atenção ao marido – o cineasta José Henrique Fonseca – e cuidar de quatro filhos pequenos – Maria, de 11 anos, Felipa, de 5, José Joaquim, de 1 ano e 9 meses, e Pedro Henrique, de 6 meses. Haja energia!

Que tal a experiência como cantora?
Estou adorando. Faz tão bem à alma cantar! É bom viver um personagem que, além de interpretar, pode cantar e eventualmente dançar.

E você canta bem?
Não chego a ser Marisa Monte, mas eu me viro (risos). Mas a Chayene também não é a Marisa Monte. Ela pode cantar com a minha voz (risos).

Já enfrentou alguma situação engraçada nas gravações dos shows de Chayene?
Ah, foi o Michel Teló não ter me deixado beijá-lo (risos). A gente avisou que a Chayene era assanhada. A direção avisou: “Na hora, você dá uma bitoquinha nele”. Mas ele não deixou (risos). Foi engraçado. Achei divertido. Foi melhor do que se ele tivesse deixado, porque a Chayene é invasiva e Michel deu um limite para ela.

Teve alguma preparação para dançar e cantar?
Já faço aula de canto há muitos anos por causa do teatro, participei de um filme cantando (Caminho das Nuvens, de 2003) e também no teatro. Mas estava parada há uns cinco anos, porque tive dois bebês, estava vivendo outras coisas e tal.

Como concilia as gravações com os bebês?
É sempre difícil. Tenho dois bebês, um de 6 meses e outro de 1 e 9 meses. E ainda as meninas de 5 e de 11. Eles precisam muito de mim. Mas também tenho que trabalhar. Passei muito tempo cuidando deles, e continuo. Já nem sei mais o que é dormir. O tempo não existe. Sou a mulher elástica. Falo para a babá: “Segura aí que vou dar esse banho”. “Peraí, que essa mamadeira eu quero dar”. Tenho que ler o livro com a de 5 anos, que está começando a se alfabetizar. A de 11 quer estudar. E cuidar do marido… De mim, não cuido nada. Agora tenho que cuidar da Chayene, que, de certa forma, cuida de mim, né (risos)?

Cláudia Abreu: Vilã de "Cheias de Charme" e mãe de quatro crianças

Cláudia Abreu acompanhada pelos filhos pequenos e suas duas babás
Foto: MINHA NOVELA/Reprodução

Saiu uma nota, informando que seu caçula tinha um problema de saúde. Ele está bem?
Está. Não entendi essa nota. Ele tem uma intolerância à lactose. Mas contei isso a alguém num papo informal e a pessoa fez um grande escarcéu. Não tem nada, além disso, felizmente. Não sei por que isso virou notícia. Falta de assunto…

Você entrou em forma muito rapidamente depois da última gravidez. Tem algum segredo?
É, estou na batalha. Mas ainda bem que a Chayene pode ter uns quilinhos a mais, já que ela acha que está sempre gorda. Então, ficar magérrima também não é o caso (risos). Mas já estou mesmo no corpo que estava antes da gravidez.

Sempre teve vontade de ter uma família grande?
Na verdade, sempre achei bacana para os outros, mas nunca imaginei que fosse acontecer comigo. Foi um presente lindo da vida, porque não foi planejado. Aquilo era distante para mim, mas a vida trouxe de uma maneira totalmente inesperada. Descobri uma alegria de doar e fiquei tão encantada de ver o desenvolvimento de cada um, como cada um é diferente do outro.

Quantas empregadas tem em casa?
Tenho duas babás. Sempre tive uma só, porque fiz questão de estar muito presente no dia a dia dos primeiros filhos. Mas, agora, tenho que ter duas, porque são dois bebês. É complicado… E tenho uma pessoa que cuida apenas da casa.

E como é sua relação com suas empregadas? Chayene vive em guerra com as domésticas da novela…
Eu as adoro, chamo todas de amadinhas. Acho que o mínimo que você tem de fazer é tratar muitíssimo bem uma pessoa que deixa a própria família em casa para ajudá-la a tratar da sua.