“Corna aos 14 anos”, Klara Castanho faz ótima reflexão sobre traição

Sem papas na língua, a atriz mandou o papo reto: "Pessoa fina foi traída, mas eu fui corna mesmo!".

Se você der um pulinho no IGTV da Klara Castanho sempre encontrará um conteúdo diferente produzido pela atriz, bem no formato gente como a gente com a câmera apoiada na mesa. Na noite do último sábado (9) não foi diferente. Totalmente confortável, ela publicou um vídeo falando sobre como foi ter sido traída aos 14 anos e o que faria de diferente hoje.

No vídeo de nove minutos e meio, ela já começou a conversa com os seguidores de forma direta: “Oi, meu nome é Klara, eu tenho 19 anos e eu fui corna aos 14. Não é legal a gente falar que a pessoa foi corna, mas eu fui corna. Pessoa fina foi traída, mas eu fui corna mesmo”. A atriz ainda brincou dizendo que não compartilha muito da sua vida pessoal, mas que essa era uma história que merecia ser exposta para além dos familiares e amigos próximos.

Sem papas na língua, Klara expressou o que muitas adolescentes já passaram: a sensação de que com elas o cara vai ser diferente. “Meu primeiro beijo foi aos 12. Depois de dois anos que eu fui beijar na boca de novo com essa pessoa e, assim, ele era uma pessoa que ficava com todo mundo. E eu achei que tinha tirado a sorte grande porque ele pegava todo mundo, mas ele resolveu namorar comigo. Como eu era incrível né? Fisguei um peixão… Coitada!”.

Depois de um mês de relacionamento, a atriz descobriu que tinha sido traída. Sem muitos detalhes de como foi essa descoberta, ela só disse que, na época, prometia para si mesma que jamais iria voltar com ele. Resultado? Cinco dias depois tinham reatado.

“A gente foi e voltou milhares de vezes, só que enquanto tudo isso acontecia, os meus pais não sabiam. Por que? Primeiro, eu sabia que não ia dar certo, que ele não era uma pessoa que meus pais iam achar boa. E segundo porque, gente, eu tinha 15 anos. Qual era a chance daquele ser o amor da minha vida? Existem histórias, mas não existia a chance daquela pessoa ser a certa para o resto da minha vida. Então, falei: não vou contar. Enquanto puder esconder, vou esconder”, lembrou a atriz.

Klara explicou que isso fez com que ela entrasse em uma paranóia de que tudo que a mãe perguntava era porque tinha descoberto do namoro da filha. Até que realmente aconteceu e a atriz ouviu aquele sermão pela mentira.

Para finalizar o vídeo, ela deixou um conselho importante, principalmente para o público adolescente que a segue: “Não mintam. Não entrem na furada de ficar correndo o risco de ter uma coisa ter que ser descoberta. É tão mais legal você chegar e compartilhar coisas. Hoje minha mãe olha para mim e fala: ‘para que eu preciso saber disso? Não precisa. Compartilhamento demais!’. Mas eu prefiro que seja assim porque antes eu vivia na tensão e hoje eu fico ‘Ufa, passou'”.

Klara também pontuou que se arrepende de não ter contado na época para a mãe porque ela teria feito o menino sumir em dois segundos e a atriz não teria sofrido o tanto que sofreu.

Veja o vídeo completo: