Dado Dolabella luta para não ir pra cadeia

O ator vai recorrer da sentença que o condenou à prisão em regime aberto

Caso a condenação seja confirmada, Dado 
dormirá na cadeia durante quase três anos
Foto: AgNews

Preocupado e aflito. Assim continua o ator Dado Dolabella desde que foi condenado pela Justiça a dois anos e nove meses de reclusão em regime aberto. A pena foi atribuída no dia 4 de agosto, em consequência da agressão sofrida pela atriz Luana Piovani, em 22 de outubro de 2008, na boate 00, no Rio. À época, os dois estavam noivos. 

Quem definirá a condição de cumprimento da pena será a Vara de Execuções Penais. Mas sabe-se que ela não poderá ser revertida em doação de cestas básicas ou trabalhos comunitários. Neste tipo de sentença, o mais comum, segundo informou a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, é o condenado passar o dia em liberdade, mas voltar para prisão à noite, e lá permanecer das 22 às 6h do dia seguinte. 

Há exceções, mas Dado foi enquadrado na Lei Maria da Penha, que é bastante rigorosa. E se essas forem as condições estabelecidas, o artista terá de dormir em cela comum, pois não possui nível universitário. A sentença foi deferida pela juíza Ane Cristine Scheele Santos, do 1º Juizado de Violência Doméstica Familiar do Rio de Janeiro. A pena do ator ainda inclui a participação dele em um grupo de homens agressores que devem refletir sobre violência doméstica e assistir a vídeos sobre o assunto. 

Além disso, Dado só poderá se ausentar do Rio pedindo autorização à Justiça e informando a necessidade e os motivos da viagem, além do local onde estará hospedado. Durante esses quase três anos, ele não poderá deixar o País. 

O vencedor de A Fazenda 1, pai de Eduardo, de 8 meses e de João Valentim, de 7 meses, declarou no dia 9 (fechamento desta edição) que iria recorrer da decisão por intermédio do seu advogado, Michel Assef Filho. “Essa história para mim já estava enterrada. Todos sabem que sou contra qualquer tipo de violência, principalmente contra mulheres”, afirmou Dado à TITITI. 

A mãe do ator, a atriz Pepita Rodrigues, se desesperou diante da notícia. “Estamos sofrendo muito. É uma condenação pesada, que atingiu toda nossa família, mas ainda temos esperança de que tudo ficará bem”, desabafou chorando. 

O irmão do ator, o produtor musical Giba di Pierro, está indignado. “Não teve sentido nenhum essa condenação. Meu irmão vai recorrer e acreditamos que a decisão será reavaliada por uma juíza mais experiente, pois esta é mais nova que ele”, declarou. 

Essa condenação refere-se apenas à acusação de agressão contra Luana. Entretanto, Dado ainda espera o julgamento de mais dois processos referentes ao mesmo caso. Um por desrespeitar uma decisão judicial que dizia que ele deveria permanecer a 250 metros de distância da atriz, e que foi quebrada quando os dois se reencontraram no Carnaval de 2009, no sambódromo do Rio. O outro, por ter agredido Esmeralda de Souza Honório, camareira que tentou apartar a briga no dia da confusão.