Falso Brilhante: gravações na Venezuela foram canceladas

Protagonizada por Alexandre Nero e Lilia Cabral, a nova trama já enfrenta problemas nos seus bastidores

Lilia Cabral será a grande vilã da novela. Ela será a vingativa Maria Marta Medeiros de Mendonça e Albuquerque.
Foto: Dario Zalis

A desistência de Bruno Gagliasso não é o único problema enfrentado por Falso Brilhante, novela de Aguinaldo Silva, substituta de Em Família. Gravações previstas para o início de maio na Venezuela foram canceladas às pressas.

Os vistos de entrada no país das equipes técnica (câmeras, produtores, iluminadores) e artística da Globo foram negados pelas autoridades locais. A informação foi confirmada pela própria emissora a Contigo! Online.

“De fato, os vistos não foram liberados, mas isso não prejudicou a novela”, informou a Comunicação da emissora. Como forma de solucionar o problema, deverão ser usadas imagens de arquivo do Monte Roraima, montanha do país em que as cenas deveriam ser rodadas.

De acordo com o jornal ‘El Universal’, de Caracas, o motivo da recusa dos vistos teria sido uma represália do Governo venezuelano, após a Globo exibir imagens, em seus noticiários, dos protestos estudantis que há cerca de dois meses explodiram e estão sendo reprimidos pela polícia local.

Falso Brilhante tem estreia prevista para o segundo semestre, logo após o término dos jogos da Copa. Protagonizada por Alexandre Nero, Leandra Leal e Lilia Cabral, vai contar a saga de José Alfredo de Medeiros (Nero), que de homem humilde torna-se um poderoso Comendador.

As gravações na Venezuela corresponderiam a primeira fase da trama, que se passa na década de 1980, quando José Alfredo parte rumo ao sonho do ouro. 

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆