Flora apodrece atrás das grades, em A Favorita

Completamente louca, a vilã cai numa cilada de Donatela, mata Dodi e confessa todos os seus crimes

Finalmente, Flora terá o que merece…
Foto: Frederico Rozário

Ser assassinada. Suicidar-se. Fugir do país… Esses foram alguns dos finais bolados por João Emanuel Carneiro para encerrar a trajetória de Flora (Patrícia Pillar), em A Favorita. Outra alternativa seria Flora enlouquecer de vez e ser encarcerada num hospício. Mas, talvez, nada disso fizesse justiça às maldades cometidas pela megera. O fato é que o novelista só decidirá na última hora. Mesmo assim, ele tende a fazer com que a vilã volte à penitenciária, onde passará o resto de seus dias. E esse é o justo castigo para ela. Flora apodrecerá atrás das grades, tendo que engolir a felicidade de Donatela (Claudia Raia). Como adiantamos na edição passada, a ex-perua procura a inimiga e finge querer fazer as pazes: “Eu voltei, Flora. Eu vim cuidar de você, minha irmãzinha…” Surpresa e emocionada, Flora cai na armadilha e as duas passam horas revivendo o passado e planejando a retomada da dupla Faísca & Espoleta. E marcam até um show. Dodi (Murilo Benício) tenta atrapalhar os planos de Donatela, mas acaba morto pela vilã. Silveirinha (Ary Fontoura) pega a arma com que Flora assassinou Dodi, guarda para poder incriminar a vilã mais tarde e troca o revólver por outro com balas de festim. Na hora de entrar no palco, Donatela se recusa a cantar e deixa Flora ainda mais louca. “Não faz isso. Fica comigo. Não precisa me amar, mas não me deixa. Eu te amo”, implora. “Eu não te amo. Nunca te amei”, responde Donatela. Transtornada, a loira atira na parceira e, ao achar que a matou, sofre um surto e confessa todos os seus crimes.