Garota dourada

Surfista na trama das 7, mãe prática na vida real. Carolina Dieckmann abre o jogo e garante que não pretende ter mais filhos

Siga o mdemulher no Instagram

A atriz mudou o visual para viver Suzana
na novela “Três Irmãs”, da Globo
Foto: Divulgação/ TV Globo

Para viver Suzana, a surfista de Três Irmãs, Carolina Dieckmann mergulhou, literalmente, no universo da personagem. A atriz, que completa 30 anos no dia 16, não mediu esforços para convencer o público de que é fera sobre uma prancha. Isso sem falar no visual da personagem.

Para ter os cabelos levemente encaracolados, ela descobriu um método… digamos… natural: “Uma maneira de dar menos trabalho é ficar cinco dias sem lavar o cabelo. Quando não estou gravando, vivo de trança. Se noto que está sujo, lavo na hora.”, afirma.

Mãe de Davi, de 9 anos, fruto de sua união com o ator Marcos Frota, e de José, 1 ano, com o diretor Tiago Worcman, a loira garante que fechou a fábrica. “Todo mundo fala para eu tentar ter uma menina, mas não acredito muito que vá dar certo. Nasci para ser mãe de homem”, brinca.

Qual é sua expectativa para a trama?
São tantas… É sempre uma tensãozinha. A gente nunca sabe se a história vai pegar ou não. Mas acho que essa novela tem a cara do horário das 7.

Como é o clima nas gravações?
Muito animado. Eu nunca tinha trabalhado com o Dennis (Carvalho, diretor-geral de núcleo), é a primeira novela que fazemos juntos. E o comprometimento da equipe com ele é muito grande, porque já estão juntos há muito tempo. Tudo isso deixa o ambiente muito mais legal e os atores mais seguros. Está todo mundo dando o melhor de si.

Já está dominando as ondas no mar?
Não estou. Não fiquei e não ficarei tão preocupada em virar uma surfista, porque realmente não dá. É muito pouco tempo de treino. O que procurei fazer e espero que fique claro na novela, é me comportar como uma surfista.

E como é isso?
É ter intimidade com a prancha, é não ter muita vaidade… Minha personagem está sempre de trança, meio despenteada, descalça… Na verdade, essa é a surfista que eu imagino, não significa que todas sejam assim.

Como foi a preparação?
Fiz aulas com o Rico de Souza e tem outras pessoas do elenco que praticam o surfe, como Paulinho Vilhena, Rodrigo Hilbert, Marcello Novaes… Ver como eles se comportam no mar ajuda muito.

E qual foi sua maior dificuldade?
Não identifiquei nenhuma grande dificuldade. Acho que isso eu vou perceber vendo a novela, porque tenho feito o melhor de mim. Depois que a novela estréia é que a gente ajusta uma coisa ou outra.

Já encarou uma onda grande?
Não. Os diretores estão tendo bastante cuidado comigo. Sem falar que tenho uma dublê para as cenas mais radicais no mar. Fiz uma viagem para Los Angeles, nos EUA, para fazer o recorte do meu rosto e colar na face da dublê. Tudo isso deixa as cenas mais reais.

Suzana se parece com a Carolina?
Em relação à pouca vaidade, sim. Sempre que eu posso, agrego isso aos meus personagens. Outra coisa que temos em comum é que eu adoro praia. Sou rata de praia desde pequena, gosto do pôr-do-sol, gosto do dia…

Pagou algum “mico” no mar?
É horrível eu falar isso de mim mesma, seria melhor que algum professor falasse, mas a verdade é que fiquei em pé, na prancha, na primeira onda que peguei. Prestei atenção às aulas que tive na areia e também dei sorte de pegar uma onda boa. Isso me deu uma animada e fez com que eu percebesse que não seria impossível surfar. E eu nunca tinha subido numa prancha!

Como tem sido deixar um bebê em casa para trabalhar?
Não está sendo difícil. É óbvio que sinto falta, mas sou prática. Sempre soube que teria de voltar a trabalhar. Divido a função com uma babá e acho que, por trás de uma grande profissional, é preciso ter outra para segurar a barra. Quando recebi o convite para a novela, José estava com 7 meses. Desde então, comecei a me preparar, a delegar mais… E Davi ajuda a manter o José animado. Eles se amam muito.