Greve pode começar amanhã e prejudicar suas séries favoritas

Roteiristas pedem melhores salários e condições de trabalho aos estúdios de TV

Siga o mdemulher no Instagram

Você está ansiosa pela oitava temporada de “Walking Dead”? Ou talvez pela volta de “Jessica Jones”, ou “Luke Cage”? Pois saiba que há um risco real dessas e outras muitas séries terem suas novas temporadas atrasadas ou até canceladas. Isso porque os roteiristas dos Estados Unidos prometem começar uma grande greve em 2 de maio.

Roteiristas são essenciais para os programas de TV, afinal de contas são eles que escrevem cada episódio das séries e até dos programas de entrevista. Sem roteiro, atores não podem atuar, diretores não podem dirigir, e os programas não podem ser feitos. Por isso uma greve de roteiristas pode causar tantos problemas para a televisão norte-americana, e consequentemente para o mundo todo.

Os roteiristas dos Estados Unidos são organizados em um sindicato chamado WGA – Writers Guild of America. No momento, o sindicato está negociando com os estúdios um novo contrato, que preveja aumentos para os roteiristas. Eles alegam que estúdios como Disney, Fox, Warner e Sony, entre outros, cada vez lucram mais com o trabalho deles, mas eles mesmos não veem a cor do dinheiro. Reivindicação mais do que justa!

Além disso, os serviços de streaming, como o popular Netflix e outros como Hulu e Amazon Prime cresceram muito nos últimos anos, mas o pagamento aos roteiristas não acompanhou esse crescimento. Eles pedem equiparação dos pagamentos feitos aos roteiristas de streaming e da televisão.

Se os roteiristas de fato cruzarem os braços, “Walking Dead”  será uma das séries mais prejudicadas, já que a produção está nos primeiros momentos. “Feud”, “American Horror Story”, “Luke Cage” e “Jessica Jones”  estão na mesma situação. Já “Game of Thrones” – ufa – não deve ser prejudicada pois já está na fase final de produção. O mesmo vale para “Stranger Things”, “Twin Peaks” e “Orange is the New Black”, todos já com data para estrear e episódios já gravados.

Há 10 anos…

A possibilidade de greve apavora os estúdios porque muita gente ainda tem lembranças vívidas da greve de roteiristas que parou a indústria em 2007, há 10 anos. Lutando por melhores salários e melhores condições de trabalho, os escritores cruzaram os braços por 100 dias.

As consequências da greve foram sérias: alguns projetos como uma série da “Liga da Justiça” foram engavetados para sempre. A festa do Globo de Ouro, tradicional premiação da indústria, nem aconteceu (porque o prêmio também precisa de roteiristas, e porque houve um movimento pesado de boicote às premiações). A audiência da TV despencou – e nunca mais voltou a ser como era. E muita muita gente perdeu emprego.

E agora?

Ninguém gosta de greve – é ruim para empregadores, para empregados e para os trabalhadores da indústria que são afetados por ela. Também é ruim para os fãs das séries. Mas é um recurso muito válido quando todas as outras formas de negociação foram em vão. Durante essa segunda-feira (1), o Sindicato dos Roteiristas segue em negociação com os estúdios. A gente está na torcida para que eles entrem em acordo e todos possam trabalhar satisfeitos.

E para que a gente possa continuar a assistir nossas séries preferidas, sem drama!