Guilherme Boury: romântico, mas nem tanto

O ator está adorando interpretar o virginal Pedro, de Poder Paralelo, mas não quer saber de compromisso tão cedo

O ator considera Kirra, uma labrador, de 
9 anos, como sua filha 
Foto: César França

Em Poder Paralelo, o romântico Pedro vive uma linda história de amor com Nina (Patrícia França), 20 anos mais velha do que ele e com quem decide perder a virgindade.

Na vida real, Guilherme Boury admite ser bem diferente do personagem. Não que ele não tenha momentos de romantismo quando está amando, mas, na maioria das vezes, o gato, de 25 anos (ele parece ter menos), prefere curtir sua liberdade: “Estou adorando ter meu espaço, é muito bom!” 

Bate-papo com Guilherme Boury

Para compor seus personagens, você busca referências em filmes. No caso do Pedro, qual foi sua fonte de inspiração?
Assisti a “O Leitor” e “Notas Sobre um Escândalo”, nos quais os personagens se envolvem com mulheres mais velhas. Também me inspirei em “O Último Americano Virgem”. Gosto muito da forma de atuar do Leonardo DiCaprio, ele é muito encantador. Em “O Homem da Máscara de Ferro”, ele tem uma postura que me agrada. Johnny Depp é outro que vive tipos exóticos… Dos brasileiros, admiro Wagner Moura, Selton Mello… Gosto de observar a calma do ator em cena, a emoção que eles passam, os olhares… É assim que vou aprendendo.

Ficou à vontade para interpretar um rapaz virgem, que se relaciona com uma mulher mais velha?
Mais ou menos (risos). Pedro é especial. É virgem porque é romântico. É um cara boa pinta, com dinheiro, mas não quer saber de zoeira. E, assim como a Nina (Patrícia França), sabe que o romance dos dois não tem futuro. Ele tem 17 anos e ela 37.

E contracenar com a Patrícia?
Está sendo uma realização. Eu acompanhava o meu avô (Reynaldo Boury) quando ele dirigia a novela Sonho Meu (1993) e Patrícia França estava lá, linda! Hoje, faço par romântico com ela e está sendo o máximo. Nunca imaginei… Estou adorando.

Você já se encantou por uma mulher mais velha?
Nunca me apaixonei e nem namorei uma mulher mais velha. Mas já saí, tive uns lances legais com algumas (risos).

Sendo sobrinho do Fábio Jr., que além de cantor também atua, e primo de Cleo Pires, dá para trocar muita figurinha com a família, não é?
Meu contato com meu tio é zero. Com Cleo só falo por e-mail. Outro dia, nos encontramos num evento e nos falamos. Sabe como é primo… Mas tomamos rumos diferentes.