Hermila Guedes sobre nova série: “A educação pode transformar o mundo”

Conversamos com a atriz da nova série da Globo, 'Segunda Chamada'

Hoje a noite promete na Globo! Além da nova temporada de ‘Filhos da Pátria‘, a emissora coloca no ar a série ‘Segunda Chamada‘. Apelidada pelo público de Sob Pressão da educação”, nessa nova produção da Globo vamos acompanhar a vida de professores de ensino médio noturno em uma escola pública para jovens e adultos (EJA), com o objetivo de mostrar o sucateamento da educação e como esses profissionais se esforçam ao máximo para driblar os problemas estruturais e conseguirem trabalhar.

Cada professor passa por sua própria barra. Lúcia, interpretada por Débora Bloch, é a protagonista sonhadora que voltou ao ensino para ajudar alunos com problemas bem variados. No geral, todos os professores da série são bem otimistas e acreditam que podem fazer a diferença, mas há uma personagem em especial que não vai muito por essa linha.

Sônia (Hermila Guedes) parece ser mais um padrão identificável na nossa sociedade: uma mulher que se multiplica em vários trabalhos para conseguir pagar as contas e que ainda enfrenta uma rotina extra como dona de casa. “Ela ainda tem que cumprir o papel de mãe, esposa, mulher. O lado como mulher foi esquecido”, explicou a atriz, em uma conversa com o MdeMulher.

Elenco de Segunda Chamada

 (Mauricio Fidalgo/Globo/Divulgação)

Ao conversar sobre sua personagem, Hermila consegue apontar direitinho todos os conflitos: “a Sônia esqueceu em si mesma o lado da mulher que sonha”, o que explica ela ser tão diferente dos demais personagens. A atriz relembrou que historicamente nunca houve valor para a educação, e ainda ressaltou que nos tempos atuais o professor passa até por problemas externos: “Atualmente o professor é perseguido, é uma realidade difícil. Eu espero… a gente acredita, que um dia esse histórico seja diferente”.

A série aborda vários tipos de professores “se envolvendo” nos problemas dos alunos. Alguns têm trabalhos desgastantes, outros são mais velhos, alguns precisam daquelas aulas para conseguir um emprego melhor. Tem até caso de aluna que precisa levar o bebê recém-nascido para a sala de aula, e os professores lidam de forma diferente do que fariam se fosse uma turma composta apenas por adolescentes de mesma idade. Para a atriz, há uma diferença entre o ensino para adolescentes e o para adultos, que neste caso seria “quase uma relação de família, diferente da relação com adolescentes”. Também perguntamos para a Hermila se alguma história em especial havia lhe tocado mais, e a atriz revelou uma preferência: “as histórias que mexem com temas femininos“.

Embora os professores ajudem os alunos nesse caso, tem que se tomar cuidado com o arquétipo do “professor santo”, como se fosse a professora Helena de Carrossel‘. Para Hermila, existe esse estereótipo “que coloca o professor quase num altar, em um lugar que não é humano”. Imagine o peso dessa responsabilidade nas costas do professor.

Após esse intensivão na escola pública da série, que envolveu inclusive visita a uma escola de verdade, a intérprete da Sônia em ‘Segunda Chamada’ sabe o que é necessário para melhorar a situação da educação no país: “(É importante) colocar esses temas em discussão, para que possam ver a realidade dos alunos e professores”. Hermila, que torce para que o trabalho sensibilize as pessoas, ainda defendeu valorização dos professores, pois isso ajudará o país a sair do índice de pobreza. “A educação pode transformar o mundo”, defende.

A série ‘Segunda Chamada’ será exibida às terças-feiras, logo após ‘Filhos da Pátria’.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆