Insensato Coração: Norma tem final dramático

Em Insensato Coração, há dois caminhos reservados para a viúva: a morte ou a cadeia. Mas o desfecho só será decidido mesmo algumas horas antes da exibição do último capítulo, na sexta 19

Norma promete denunciar o Léo
Foto: Divulgação/Rede Globo

A MINHA NOVELA teve acesso a um novo bloco de capítulos de Insensato Coração – os autores escreveram três para despistar.

Nesses, em vez de Léo (Gabriel Braga Nunes), quem morre é Norma (Gloria Pires). Pedro (Eriberto Leão) faz o irmão confessar que não gosta da viúva e que transa com ela pensando em qualquer outra.

Só para pegar o dinheiro da tonta. Norma escuta a conversa e pede a Pedro que a deixe a sós com o vilão. Em seguida, ela humilha Léo até vê-lo ajoelhado a seus pés. Ela pega uma arma e promete denunciá- lo. O safado joga o revólver longe e escapa pela janela.

Logo depois, Norma se volta e diz: “Não faça uma besteira dessa”. E leva três tiros, caindo morta na hora. Por essa versão, o jogo muda e o público terá de adivinhar “quem matou Norma”, já que o mistério só será revelado no último capítulo. E entre os suspeitos estarão Fabíola (Roberta Rodrigues), Raul (Antonio Fagundes), Ismael (Juliano Cazarré), Eunice (Deborah Evelyn), Tia Neném (Ana Lúcia Torre), Léo e Wanda (Natália do Vale). E esta é a candidata mais forte.

Insensato Coração: Norma tem final dramático

Wanda é a principal suspeita de ter matado a Norma
Foto: Divulgação/Rede Globo

Segundo informações de bastidores, Wanda mata Norma para impedir que o filho seja preso. Mas Tia Neném, que a segue e vê o crime, a denuncia ao saber que Raul é preso pelo assassinato.

Além dos capítulos que mostram o assassinato de Norma e Eunice matando Léo, existe ainda uma terceira versão. Nesta, a viúva elimina o amado. Ao descobrir que o vilão a está enganando novamente, Norma acaba com a vida dele e volta para a cadeia. Agora, por um crime que realmente cometeu.

Sem vontade de viver, ela revela tudo o que fez para concluir sua vingança: as mortes, a falsificação de documentos, as mentiras…