Klebber Toledo: “Críticas servem para crescer e fortalecer”

No ar como Umberto de Lado a Lado, Klebber Toledo assume o romantismo e revela como lidou com as críticas negativas

Klebber Toledo comemora o sucesso de seu personagem em “Lado a Lado”
Foto: TV Globo/Divulgação

O romance proibido entre Umberto e Constância (Patrícia Pillar), em Lado a Lado, tem mexido com a imaginação das donas de casa. Prova disso são as frequentes piadinhas que Klebber Toledo, intérprete de Umberto, tem ouvido: “Ah, se tivesse um garotão desse na minha época!” ou “Ah, se eu não fosse casada…”. Diferentemente do personagem, o ator nunca se relacionou com mulheres mais velhas. No entanto, não vê problemas em diferenças de idade. Tanto que o galã de 26 anos namora, há 1 ano e 5 meses, a atriz Marina Ruy Barbosa, de 17.

Amante à moda antiga, o paulistano adora agradar a amada com mimos e declarações românticas. Klebber é generoso também em relação à carreira e garante não guardar nenhum resquício de rancor pelo bombardeio de críticas negativas que sofreu por sua atuação em Morde & Assopra (2011): “Isso não me abalou em nada!”.

Klebber Toledo: "Críticas servem para crescer e fortalecer"

Klebber Toledo: galã da nova geração de atores da Globo
Foto: TV Globo/Divulgação

Quais os maiores desafios em interpretar o sedutor Umberto?
Sem dúvida nenhuma, o fato de ser uma produção de época. A gente não pode brincar muito, tudo tem que ser pensado dentro de um contexto. Cacos, concordância, vícios de fala, de postura e até a forma como a gente olha… Tudo precisa ser estudado. Às vezes, num descuido, podemos acabar trazendo um olhar muito mais atual para a cena.

Está curtindo o visual de época?
Um espetáculo! O cabelo eu já usava. Apesar de não ter paciência para arrumar, todos acham que vivo em função dele (risos). Se for fazer como a galera, de colocar topetinho para o alto, usar isso e aquilo, não iria dar certo. Por incrível que pareça, passo o pente para um lado e para o outro e já saio de casa (risos).

Na novela, Umberto manda muito bem no futebol. Você também é bom de bola na vida real?
Não jogo nada! Mas para a época não precisa, já que o futebol ainda está no início. Sou muito bom em qualquer esporte, menos futebol. Joguei pela Federação Paulista de Vôlei, participei de campeonato de escalada amador, pratico surfe… Agora, no campo de futebol… (risos)!

Já em relação à carreira… Como as críticas que você sofreu em Morde & Assopra afetaram o atual trabalho?
Eu sei o quanto me dedico e trabalho para isso. Graças a Deus, foram pouquíssimas pessoas que deram essa conotação negativa ao meu trabalho. Até dentro da equipe de Morde & Assopra, com os atores, sempre tive um respaldo muito bacana. Críticas servem para crescer e fortalecer.

Mas como lida com as críticas?
Morde & Assopra, principalmente com a Cássia Kiss Magro, era um trabalho tão conjunto que a gente se fortalecia e as pessoas procuravam um lado negativo para puxar o tapete. Não levo em consideração nem o elogio nem a crítica. Isso não me abalou. Ficaria preocupado se a Cássia tivesse me falado alguma coisa. Nos demos bem. Ela sempre me ajudou muito e tenho certeza de que gostou do nosso trabalho.

Klebber Toledo: "Críticas servem para crescer e fortalecer"

Klebber e a namorada, a atriz Marina Ruy Barbosa
Foto: Ag.News

Voltando a Lado a Lado, como é o assédio das fãs na rua?
Sou sempre muito bem recebido. Me divirto bastante quando ouço coisas do tipo: “Ah, se tivesse um garotão desse na minha época!” ou “Ah, se eu não fosse casada…”. Acho muito legal.

Seu personagem não é nada romântico. E você, é?
Sou muito! Uma vez enchi um carro de flores para a Marina.