Letícia Isnard: “Já fui traída e sofri muito, mas perdoei”

A atriz que interpreta Ivana, em "Avenida Brasil", conta que já passou por situação parecida com a da personagem e revela seu maior sonho: ser mãe

Letícia está satisfeita com o sucesso de Ivana e revela que sonha em ser mãe
Foto: AgNews

Tal qual sua personagem Ivana em Avenida Brasil, que é enganada por Max (Marcelo Novaes), a atriz carioca Letícia Isnard também já foi traída na vida real. A ex-bailarina e mestre em sociologia, que fará 38 anos no próximo dia 30, conta nesta entrevista exclusiva como superou situação amorosa tão delicada e ainda faz revelações sobre sua infância e seu maior sonho: ter um filho.

A arte imita a vida
“Como eu reagiria se fosse traída como aconteceu com Ivana? Depende da traição. Já fui traída e sofri muito.  Perdoei, mas a verdade é que nunca mais o relacionamento foi o mesmo. Algo se quebrou para sempre naquela história.

Uma traição como a do Max, tão sórdida, acho impossível perdoar. Até porque ele acabou com a possibilidade de Ivana ter um flho. Ele sempre a obrigou a evitar e ela já tem 40 anos. Isso foi muito cruel!”

Igual a Ivana?
“Eu me identifico com a Ivana em vários aspectos: na doçura, na alegria, no bom humor e numa certa ingenuidade. Mas sou mais esperta do que ela!”

Letícia, a intelectual
“Sempre me interessei muito pelas matérias da área de humanas, como história, literatura e filosofia. Cheguei também a cursar dois anos na faculdade de direito. Ah, eu ainda fui bailarina. Quando comecei a fazer teatro, no entanto, me apaixonei pela interpretação. Até hoje pertenço ao grupo de teatro Os Dezequilibrados.”

Infância com os primos
“Era uma criança que adorava brincar de escolinha, de bonecas. Meu irmão sempre me dava algumas de presente. Lembro-me também com muito carinho de nossas férias na casa da minha avó em Teresópolis, onde nos juntávamos aos nossos primos (éramos 11 crianças, em escadinha de idade) para passar os verões.”

Estreia
“Durante três anos participei de aulas de teatro, ao mesmo tempo em que fazia o mestrado em sociologia. Em 2001, estreei com a peça Bonitinha, mas Ordinária. Anos depois, uma produtora da Rede Globo me ligou para um teste para o seriado Minha Nada Mole Vida, com Luís Fernando Guimarães. Passei e entrei com o pé direito na TV.”

O convite para Avenida Brasil
“Quando fui chamada para fazer um teste para a novela, em São Paulo, tive de bancar do meu bolso a ida para lá. O investimento valeu. Dois meses depois desse dia, o produtor me ligou dizendo que eu havia sido aprovada e me convidou para o papel.”

Vaidade caseira
“Por ter sido bailarina, sempre que posso pratico dança ou ioga. Sobre vaidade, não costumo frequentar salão, não: faço tudo em casa! Aplico máscara de argila branca no rosto e faço uma touca de hidratação nos cabelos. Também me depilo. Tudo eu mesma faço.”

Lazer
“Quando estou de folga, gosto de ler, ir ao teatro e ao cinema. E adoro tomar uma cervejinha com amigos no bar.”