Luana Piovani garante: “Quero ter mais dois filhos… Estou animadíssima!”

Prestes a estrear peça de Woody Allen, Luana Piovani conta o que aprendeu até chegar ao relacionamento ideal

“Eu não gosto de errar… Mas errar com 20 anos é diferente do que com 37″
Foto: Ernani d’Almeida

Após se contundir durante os ensaios do último Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão (Globo), e passar por uma cirurgia, Luana Piovani, 37 anos, ainda manca e chegou para esta sessão de fotos pedindo gelo para colocar no joelho. Mas nada de tristeza, fraqueza ou reclamação. Luana está tão feliz que diz que vai “sambar de salto alto no próximo Carnaval”. Essa alegria tem tudo a ver com sua estreia, na sexta-feira (25), no Teatro Ipanema, Rio de Janeiro, na peça Sonhos de um Sedutor, de Woody Allen, 77. O espetáculo traz à tona as marcas registradas do escritor-cineasta: sua observação irônica sobre os relacionamentos homem-mulher, suas neuroses e seus finais “não felizes”. E foi sobre isso que ela conversou com CONTIGO!, mostrando-se uma expert no assunto. “Já passei por tudo”, resume a atriz, sem excluir seu casamento com o surfista Pedro Scooby, 24, pai de seu filho, Dom, 1.

Você diz que já viveu de tudo em relacionamento. Você se acha bem resolvida no amor?
Eu me acho muito bem resolvida, já passei por tudo. Tive uma variação de homens, de idades. Sempre tentando melhorar um pouco e, ainda assim, errando, muitas vezes não conseguindo evoluir. Acho superimportante a gente ter muitos relacionamentos e tentar entendê-los, tanto enquanto você vive como quando termina. Porque aí você tira uma lição, vê onde errou, vê o que faltou, entende o que é prioridade para você. Acho que já passei por todos os estágios. E, de repente, cheguei a um lugar que é este em que estou. Minha vida está totalmente estabilizada. A gente não passa por questões em casa, eu não tenho do que reclamar.

Dá para dizer que hoje você está no momento mais feliz de sua vida?
Sempre acho que estou no momento mais feliz da minha vida, fora os momentos de mazela, claro, em que você sabe que está vivendo uma fase de evolução e troca de casca. Este não é o melhor, mas é um momento pleno, sem sustos. Quando o cara joga a favor, dá tudo certo, e isso faz a vida melhor. Viver em paz não tem preço. Eu não conhecia essa vida nem sabia que ela existia. Para mim, o amor era uma coisa totalmente ligada à dificuldade de conseguir se relacionar com outra pessoa. Mas entendi que eu estava escolhendo e sendo escolhida por algumas pessoas que realmente não olhavam para a vida como eu. A pessoa pode até gostar de você, mas tem prioridades diferentes e aí fica complicado, você vive angustiada. Agora estou plena, feliz, tranquila. As coisas que acho que Pedro poderia melhorar, ele já sabe e ele quer.

Luana Piovani garante: "Quero ter mais dois filhos... Estou animadíssima!"

Além da peça adulta, Luana estreia uma infantil em 2014 e fará dois filmes
Foto: Ernani d’Almeida

O que ele poderia melhorar?
A minha grande sorte foi ter encontrado um garoto que é um homem.
Porque era para ele não estar nesse estágio, é isso que me surpreende. As coisas que me incomodam no Pedro são muito pequenas. É a toalha molhada em cima da cama, a falta de organização… Sempre fui organizada, mas ele é surfista, é um garoto de 24 anos, não posso exigir dele que tudo esteja no lugar, que ele não entre com areia no meio da sala… É tudo muito cabível, coisas da idade.

Mas ele é um superpai?
Fica sempre piegas dizer isso, mas ele realmente é um exemplo. É um superpai e um supermarido, além de ser muito divertido e um companheiro maravilhoso. Tirei a sorte grande. Outro dia, saí com as amigas e não tinha muito o que falar, só as gracinhas fofas do Dom!

E como está Dom?
Bolota está uma coisa! Todo mundo chama de Domzuco, mas eu só consigo chamar de Bolota. Ele é fofo, olhe (e ela mostra várias fotos do menino bochechudo no celular). No fim do ano, vamos batizá-lo em Fernando de Noronha. Vai ser demais! A gente está pensando em batizá-lo como João Batista batizou Jesus, levá-lo para o mar, ao ar livre. Ele ama o mar, só não pega onda. Ainda! (Luana usa um pingente com um menino surfista.)

Você quer ter mais filhos?
Quero ter mais dois filhos, se Deus quiser. Estou animadíssima! Quero engravidar no fim de 2014, depois das peças. Além dessa, em março, estreio outra, uma infantil, que se chama Mania de Explicação, baseada no livro da Adriana Falcão. Ela mesma está fazendo a adaptação. Bolota vai estar na primeira fileira. Vou adorar! E vou morrer (risos)!

Que tal agora fazer uma peça de Woody Allen? Você é fã?
Eu me senti uma sortuda. Faço análise há 18 anos e amo o comportamento humano, suas neuroses e loucuras, a relação homem-mulher. Tenho até vontade de estudar psicologia mais adiante.

Luana Piovani garante: "Quero ter mais dois filhos... Estou animadíssima!"

A atriz entra no clima anos 1970 da peça Sonhos de Um Sedutor, que estreia no Rio
Foto: Ernani d’Almeida

Você se identifica de alguma maneira com sua personagem, uma mulher romântica, mas que acaba traindo?
Linda é parecida comigo no romantismo, mas é muito mais romântica que eu, do tipo de fechar os olhinhos. Ela não pode ouvir um homem falar uma doçura que suspira. Eu tenho um lado racional que me puxa muito para a praticidade. Sou romântica, mas, como o mundo em que vivo não é romântico, dei uma segurada. Tenho um romantismo lá dentro, mas no dia a dia isso já nem aparece mais. E a Linda tem um casamento que eu jamais conseguiria viver. Aí, ela se apaixona por outro homem, vive uma experiência que é boa para ela, mas volta para aquele relacionamento, que, na minha concepção, é péssimo. Eu a acho uma “tadinha”, mas, no fim, ela mostra que não, que aquela é a opção dela. E eu acredito demais no livre-arbítrio do ser humano. Não existe coitadinho. Coitadinhos são os que não têm comida, saneamento básico. A gente sempre tem uma opção.

E a traição, como você vê isso hoje?
Traição, para mim, é ponto final. Justamente por fazer análise você entende que pode se organizar mentalmente e entender que o que você está sentindo é um desejo e que pode controlá-lo. É um ponto final, porque não houve consideração, respeito, e perde-se a confiança. Fica muito difícil manter um relacionamento assim, confiança é primordial em tudo. Se acontecesse comigo, eu sentiria a dor de alguém que foi profundamente magoada. Porém, não teria sofrimento. Mas precisei passar por muita coisa para chegar nesse lugar, fazer muita análise, sofrer muito, apostar a ficha no outro e ser muito decepcionada inúmeras vezes. Isso é o legal de ter 37 anos. Eu não gosto de errar, gosto de ser a melhor aluna da classe. Mas errar com 20 anos é diferente do que errar com 37, casada, com filho. Ainda mais depois de você chamar todo mundo, fazer festa e dizer para todo mundo que você resolveu casar.

LEIA A ENTREVISTA COMPLETA NA EDIÇÃO 1988 DA REVISTA CONTIGO!, NAS BANCAS A PARTIR DE 23/10/2013.

Luana Piovani garante: "Quero ter mais dois filhos... Estou animadíssima!"

Casada com Pedro Scooby, e mãe de Dom, Luana diz estar vivendo um momento pleno
Foto: Ernani d’Almeida

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s