Márcio Victor: “Lepo Lepo vai ser a música da vitória do Brasil na Copa!”

Márcio Victor, vocalista do Psirico, fala do hit que continua bombando na web.

Marcio Victor
Foto: David Campbell/Divulgação

Decididamente o Lepo Lepo não foi só fogo e amor de Carnaval. A música da banda baiana Psirico continua arrepiando principalmente porque ganhou versões para lá de inesperadas e criativas que agitam a internet.
 
Nheco, Nheco, de estudantes do Sul do país, Meu Caneco, do humorista Tirulipa, filho do Tiririca, e Lero Lero, a versão feminina do hit, cantada por Amanda Valverde. E até a presidenta Dilma Rousseff entrou na história. Internautas fizeram uma montagem com vários trechos de discursos feitos anteriormente por ela embalados pelo hit. Essa foi a versão preferida pela banda.
 
Márcio Victor, vocalista do grupo, viu algumas das versões e amou: “Achei massa. A música foi feita para o Brasil. É a maneira do povo se manifestar, ela é livre”. E comentou sobre algumas versões. “A do roqueiro é muito boa. A do Tirulipa também é ótima, morri de rir, que cara engraçado!”
 
A cantora que fez a versão para as mulheres se inspirou em uma história de uma amiga. Amanda, de 16 anos, disse que está muito feliz com a repercussão e que até recebeu um convite de Márcio para cantar com ele. “Estou feliz, sempre foi meu sonho ser reconhecida pela música e essa é uma ótima oportunidade”, disse a jovem. Ela está gravando seu primeiro CD e Lero Lero, claro, estará nele.
 
Lançada em maio passado, a música do grupo Psirico, contudo, chegou ao auge no Carnaval. “Foram 12 shows em seis dias, o Carnaval dos sonhos, perfeito”, definiu Márcio.
 
A Psirico tem 12 anos na estrada e seu objetivo sempre foi criar algo diferente na Bahia, misturando ritmos e batidas e falando da realidade do brasileiro. “A gente tem preocupação social. Vim do gueto, tenho pavor de discriminação e preconceito”, disse o vocalista.
 
A inspiração para criar Lepo Lepo, segundo o músico, foi o amor e a cumplicidade. “Muitas canções na época estavam falando sobre ostentação. Psirico observou uma coisa que ninguém estava reparando, que é o amor comprado. Quisemos, então, chamar mais a atenção pelo amor, pela importância de estar com alguém sem interesse”, explicou.
 
Deu certo e a vida dos artistas se transformou. Márcio está amando o sucesso. “Têm acontecido coisas muito loucas (risos). É fã dormindo na porta do hotel, todo dia deixam presentes e cartas na portaria… Não estou gastando mais dinheiro com chocolate, boné e perfume (risos). Ganhamos um montão”, contou, animado.
 
Se esperava que tudo isso aconteceria algum dia? “Claro, espero por esse momento há 12 anos, desde que começamos, só não sabia que seria agora.”
 
E o entusiasmo do gato não tem limites. “Lepo Lepo ainda vai ser a música da vitória do Brasil na Copa, tenho certeza.” E ele contou que alguns jogadores da seleção acreditam que a música vai ser o hino do povo empurrando o time. “A parte do ‘rá rá rá rá rᒠsignificará ‘mão para cima!'”
 
Outras canções da banda mostram a preocupação com as questões sociais. Dor de Mãe, por exemplo, relembra o triste episódio em que um jovem entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira, no Realengo, no Rio em 2011, e matou 11 crianças. Já Firme e Forte fala dos problemas que muitas cidades sofrem com as chuvas e enchentes.
 
Com vibração, a galera vai falando do sofrimento que a população enfrenta com coragem e sem perder a alegria!