Mariana Rios: talento para dar, vender, emprestar…

A atriz e cantora mineira conta como transformou a Yasmin, de Malhação, em uma das personagens mais queridas da TV

Mariana Rios é uma artista completa
Foto: Divulgação

Uma menina sapeca, maluquinha, divertida e toda atrapalhada… Não, esse não é o perfil da grata revelação do meio artístico, Mariana Rios, 22 anos. Embora empreste as gírias e o sotaque mineiros a Yasmin, em Malhação, a estrela se considera bem diferente da garota espevitada da novela teen.
 
Desde que estreou na TV, na mesma trama, em 2007, Mariana vem arrancando boas risadas dos telespectadores. Com uma graça e irreverência ímpares, a gatinha de Araxá (MG) conquistou o carinho do público e os elogios dos críticos.
 
Mas engana-se quem pensa que a morena arrasa só na telinha. Cantora desde os 7 anos, ela já participou de musicais com Oswaldo Montenegro e foi aplaudida ao cantar ao lado de Ivete Sangalo, no Estação Globo no início deste ano, por exemplo.
 
Artista completa, Mariana sempre se dividiu entre a paixão pela música e o tablado. Mas considera-se antes cantora que atriz, já que começou a soltar a bela voz cedo e, na adolescência, apresentava-se nos barzinhos de Uberaba (MG). Aos 18 anos, ela mudou-se para o Rio de Janeiro atrás da realização do grande sonho: acontecer nos palcos e na TV. De lá para cá, a história de Mariana é repleta de alegria e sucessos. Está aí a Yasmin para comprovar que ela nasceu, mesmo, para brilhar. Confira mais sobre esta querida e promissora artista a seguir.

tititi – Você imaginava que a Yasmin faria tanto sucesso em Malhação?
Mariana Rios – Quando vi a sinopse, já achei que ia dar certo. Ela também é mineira e pensei que, talvez, pudesse fazer brincadeiras de Minas, usar umas gírias.

Foi aí que ela começou a falar expressões divertidas como “Jesus, apaga a luz!”?
Eu sempre falei, e falo, expressões engraçadas desde que sou criança. Quando estudava com minha amiga Raphaela Aguiar aprendi “Jesus, apaga a luz!” e outras como “Não me mata com a faca da cozinha!”

Foi você quem decidiu inserir essas gostosas brincadeiras nos diálogos?
É, isso não estava nas falas, aconteceu meio naturalmente. Um dia, falei para o Peralta (personagem de Jonatas Faro) numa cena: “Não me mata com a faca da cozinha!” Na outra semana, eu vim com “Jesus, apaga a luz”. A equipe começou a rir, e não há termômetro melhor. Aí, conversei com o diretor, Marcos Paulo, e tomei a liberdade de começar a colocar as expressões.

E como é a receptividade do público?
Muito legal. Quando me encontram, o que mais falam é “Jesus, apaga luz!” Eu gosto muito porque isso representa um reconhecimento do meu trabalho.

O sotaque mineiro não atrapalhou?
Não, porque a Yasmin é mineira. Quando eu for fazer outra novela, mudarei o sotaque, mas na minha vida ele vai continuar, pois sou mineira e esse é o meu jeito.

Você se parece com a Yasmim?
Só nos modos e nas coisas que ela fala. Mas ela é barraqueira e eu não sou (risos).
 
Cantar veio antes ou depois de você se tornar atriz?
Ah, eu canto desde os 7 anos. Sempre cantei profissionalmente, e fui contratada por uma agência de publicidade ainda criança. A vontade de atuar veio depois.

E quando descobriu seu dom de cantar?
Desde criancinha, com 3 ou 4 anos… Eu falava demais e cantava o dia inteiro. Daí, comecei a ganhar microfones de presente. Quando tinha 7 anos, houve um festival de música e eu, metida que era (risos), pedi para meus pais me inscreverem e venci.

E não vai gravar um CD?
Pretendo gravar em breve e, se brincar, ainda sai neste ano. Meu estilo é o pop rock, que eu amo.

Como começou a carreira de atriz?
Eu morava em Uberaba (MG) e, aos 18 anos, mudei para o Rio de Janeiro, já matriculada na CAL – Casa de Artes de Laranjeiras. Pouco tempo depois, comecei a fazer espetáculos com Oswaldo Montenegro, trabalhei dois anos e cheguei a gravar três DVDs com ele.