Meghan e Harry podem se mudar para a África após o nascimento do filho

Segundo o "The Sunday Times", o casal ficará na região de dois a três anos e o motivo é uma causa nobre.

Ainda não é o nascimento do bebê real, mas é mais uma notícia surpreendente sobre Meghan Markle e o Príncipe Harry. Segundo o “The Sunday Times”, o casal real poderá se mudar para a África após o nascimento do filho por uma causa nobre.

Ainda de acordo com o veículo, a duquesa de Sussex e o príncipe britânico ficarão de dois a três anos na região para participarem de um projeto social da Commonwealth”, uma associação voluntária de 54 países que trabalham juntos para aumentar o desenvolvimento de cada um. No entanto, essa mudança só acontecerá depois de 2020. 

Esse plano teria sido elaborado por David Manning, ex-embaixador britânico nos Estados Unidos e conselheiro especial de assuntos constitucionais e internacionais dos príncipes, junto com o Lord Geidt, o ex-secretário particular da Rainha Elizabeth II. 

Já a escolha pela África em si seria pela relação que Meghan e Harry têm com o local. Por exemplo, a duquesa de Sussex celebrou os sete meses de gestação com uma tatuagem de henna feita em uma visita a Marrocos, um dos locais dos projetos sociais da Família Real.

A título de curiosidade, Meghan e Harry não será o primeiro casal real a viver um período longe das terras britânicas. A Rainha Elizabeth II e o Príncipe Philip viveram pois dois anos em Malta, onde ele prestava serviços por meio da Marinha Britânica. No entanto, eles precisaram retornar à Inglaterra quando o Rei George VI morreu repentinamente e a atual rainha precisou assumir ao trono.

Conheça os signos que todo mundo odeia – escute no nosso podcast!