Minissérie ‘Maysa – Quando Fala o Coração’

A minissérie desvenda a vida conturbada da cantora e conta com a direção de seu filho Jayme Monjardim

Sua trajetória é cheia de altos e baixos E ninguém melhor do que seu filho único, Jayme Monjardim, para contar a história.
Foto: Divulgação Rede Globo

“Nada que é pouco me satisfaz”, a frase, dita por Maysa (Larissa Maciel) na minissérie que leva seu nome, define muito da vida da cantora, dona dos olhos de “oceanos não-pacíficos”, como definiu o poeta Manuel Bandeira. Dada a excessos de bebida, remédios para emagrecer e amores, Maysa Monjardim Matarazzo foi uma das mais importantes cantoras e compositoras do País. No entanto, sua trajetória é cheia de altos e baixos. E ninguém melhor do que seu filho único, Jayme Monjardim, para contar a história. “Eu entreguei todas as cartas e diários, tudo que era mais íntimo dela ao Manoel Carlos. É a alma dela e a intimidade da nossa família exposta”, revelou o diretor, que teve a ideia da minissérie sobre sua mãe há muitos anos.

Confira quem é quem na minissérie

O passo decisivo para dar andamento ao projeto foi quando Larissa Maciel aceitou viver o papel-título. “Não existiria a minissérie sem ela”, diz Monjardim, que completa: “O segundo passo foi o Maneco ter aceitado escrever”. Depois de inúmeros testes, somaram-se à produção os dois filhos do diretor, André Matarazzo e Jayme Matarazzo, que interpretam duas fases da vida do pai. Ou seja, mais em família, impossível.

Tudo Original

Com todo o material e elenco reunidos (formado por atores veteranos no teatro), as gravações começaram em janeiro de 2008. Para dar ainda mais veracidade, foram usadas locações originais, como a casa de praia em Maricá, onde a cantora passou seus últimos e mais serenos dias, além de figurinos que pertenceram a Maysa. E, segundo Monjardim, todos os momentos e conflitos principais de sua mãe estarão na tela: o relacionamento com o primeiro marido, o milionário André Matarazzo; o desafio aos padrões sociais e tabus; as ousadias e os amores conturbados com personalidades como o compositor Ronaldo Bôscoli, o empresário espanhol Miguel Azana e o ator Carlos Alberto. Isso sem falar de sua relação com o filho e o fim trágico, aos 40 anos, em um acidente de carro, em 1977. Uma vida marcada pelos sucessos e excessos, tudo em nome de um sonho: cantar e ser feliz. “Digo que foi o trabalho mais difícil e também o mais prazeroso da minha vida”, conclui Manoel Carlos. O resultado você conferirá a partir do dia 5 de janeiro na Rede Globo, em nove capítulos.

Leia também:
Jayme Monjardim conta como foi produzir a minissérie sobre a mãe

A importância de Mercúrio no seu Mapa Astral – escute já!