Morre o ator José Wilker

O ator, de 66 anos, faleceu esta manhã em sua casa no Rio de Janeiro.

José Wilker faleceu na manhã deste sábado (05/04) na casa de sua namorada, Claudia Montenegro, no Rio de Janeiro, vítima de um infarto. Segundo declaração de Claudio Rangel, produtor da peça que Wilker estava ensaiando, ao Jornal Hoje, da Rede Globo, ele teve uma parada cardíaca enquanto dormia. Wilker deixa as filhas Isabel e Mariana. Ele foi casado três vezes com as atrizes Renée de Vielmond, Mônica Torres e Guilhermina Guinle. 

A última participação do ator em novelas foi no ano passado, em “Amor à Vida”, de Walcyr Carrasco, no papel do médico Herbert. Em 2012, Wilker se destacou no remake de “Gabriela Cravo e Canela”, de Jorge Amado na pele do Coronel Justino. A frase “Deite que quero lhe usar”, que o personagem dizia à esposa, virou hit nas redes sociais. 

 

 

Morre o ator José Wilker

José Wilker e Susana Vieira em Anjo Mau, novela de 1976.
Foto: Reprodução

Nascido em Juazeiro do Norte, no Ceará, no dia 20 de agosto de 1946, ele se mudou para Recife, em Pernambuco, quando era criança. Começou sua carreira no teatro dentro do Movimento Popular de Cultura (MPC) do Partido Comunista. O ator ganhou, em 1970, o prêmio Molière de Melhor Ator pelo espetáculo “O Arquiteto e o Imperador da Assíria”, de Fernando Arrabal, e chamou a atenção de Dias Gomes. O autor o convidou para sua primeira novela, Bandeira 2.

O primeiro protagonista de Wilker veio 5 anos depois em “Mundinho Falcão em Gabriela”, adaptação do romance de Jorge Amado. A partir daí, sua carreira se consolidou e o ator fez um currículo recheado de personagens inesquecíveis. Entre eles, na televisão, Rodrigo, de Anjo Mau (1976) e Roque Santeiro (1985), além de Xica da Silva e Bye Bye Brasil, no cinema.