Os altos e baixos de Passione

A novela Passione termina nesta semana e fizemos uma lista dos altos e baixos da trama

Jéssica (Gabriela Duarte) aprontou muito junto a Berilo (Bruno Gagliasso)
Foto: Divulgação / Rede Globo

 

Valeu!

· Gabriela Duarte surpreendeu como Jéssica, personagem diferente das mocinhas românticas que já interpretou.

· Daisy Lúcidi, como Valentina, a “velha porca”. E olha que, em 60 anos de carreira, ela nunca tinha feito uma vilã.

· O elenco de veteranos. Cleyde Yáconis (Brígida), Leonardo Villar (Antero), Emiliano Queiroz (Benedetto), Aracy Balabanian (Gemma) e Irene Ravache (Clô) arrasaram.

· Mayana Moura, a Melina da trama. A ex-modelo e cantora de rock fez uma bela estreia como atriz. Tarefa nada fácil, já que sua personagem era muito complexa.

· Passione começou bem. As cenas na Itália foram lindas; a história era ágil; a parceria de Clara (Mariana Ximenes) e Fred (Reynaldo Gianecchini) prometia muito “fogo e gasolina”, mas…

Não valeu!

 

Os altos e baixos de Passione

O segredo de Gerson (Marcelo Anthony) demorou e decepcionou
Foto: Divulgação / Rede Globo

· O segredo de Gerson (Marcello Antony). Depois de seis meses de suspense, descobriu-se que o piloto apenas gostava de sexo sujo e prostitutas gordas. A decepção foi geral.

· A insossa Diana (Carolina Dieckmann). Pelo conjunto da obra. E a explicação deixo para a própria atriz: “Seria muito grave se a mocinha de uma trama não funcionasse a ponto de ter que ser morta”, declarou para a Revista de TV, de O Globo, em outubro de 2011.

· A fase “boa” de Clara durou muito tempo e a loira posava de santa até quando estava sozinha, sem precisar fingir.

· A simulação da morte de Totó. Bete e a família Mattoli sabiam que ele estava vivo e ajudaram, mas, mesmo assim, sofriam sozinhos, longe dos estranhos.