Pensamentos sobre ‘Game of Thrones’: 6ª temporada, Episódio 4

As que comandam vão no trá.

Que episódio! Após o marasmo da semana passada, “Game of Thrones”, logo no início, já traz o que qualquer fã gostaria de ver: Sansa e Jon juntos. Sério, qual foi a última vez que vimos a garota sorrir? Ou melhor, qual foi a última vez que sorrimos de felicidade assistindo a série? E, claro, além dos vários reencontros, o capítulo foi centrado no poder feminino, há muito negligenciado lá pelos lados de Westeros. Cersei, Sansa, Yara, Margaery, Brienne e, obviamente, Daenerys: vocês comandam, garotas!

Leia Mais: Pensamentos sobre ‘Game of Thrones’: 6ª temporada, Episódio 3

Castle Black I

Se tem uma coisa que qualquer fã de “Game of Thrones” aprendeu durante esses seis anos de exibição da série é ter desapego. Quantas vezes já amamos e torcemos por um personagem para logo ele ser morto (com exceção do Jon Snow, claro)? Por isso, foi com muita surpresa – e alegria – que recebemos, logo nos primeiros minutos, o reencontro de Sansa Stark e Jonzinho Floco-de-Neve. Tão lindo que poderia durar para sempre. “Peraí”, estamos mesmo assistindo “GoT”? Sério, essa menina já sofreu tanto, mas tanto, que é tão bom e ao mesmo tempo inacreditável vê-la sorrindo novamente! Melhor ainda é perceber uma nova mulher nela: mais forte, segura e, principalmente, realista. A conversa dela com Jon foi de uma sensibilidade… O pedido de desculpas, a vontade de voltar no tempo… E o que já parecia bom, foi perfeito! Sansa cresceu e deixou a apatia de outros tempos de lado, uma das principais críticas dos espectadores, e quer Winterfell, quer vingança, e está tomando, finalmente, as rédeas da vida dela.

Porto Real

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Ai, Margaery, como não gostaríamos de ver você nessa situação! Você combina muito mais com roupas luxuosas e ambientes de riqueza do que com essa cela miserável. Mas, diferentemente do que muitos podem pensar, a Rainha não é carta fora do baralho, não. E, ainda bem, não está a fim de permitir que o Alto Pardal destruia todos os planos que criou para a vida dela. Vai lutar e não vai esperar o idiota do príncipe (no caso, o estúpido Rei Tommen) resgatá-la. É muito bom vê-la fingindo submissão e resignação. #GirlPower! Infelizmente, não podemos dizer o mesmo de Ser Loras, sempre o elo fraco da família Tyrell. Mas, enfim, o que diabos ele deve ter sofrido parar querer desistir de tudo? Tortura é coisa séria, amigos! Vai ser interessante acompanhar os próximos passos disso, melhor ainda é ver Cersei juntando forças com a sempre maravilhosa Lady Olenna. Provavelmente a season finale será centrada no confronto Fé vs. Coroa.

Leia Mais: A teoria mais louca sobre “Game of Thrones” pode ser verdadeira

Meereen

Alívio cômico é com ele mesmo, mas, nesta semana, Tyrion não queria saber de gracinhas e foi todo sobre politicagem. O talento do anão é tão invejável que a galera de Brasília até poderia aprender um ou dois truques com ele… Enfim, mesmo com a não-aprovação de Missandei e Grey Worm, ele foi em frente e selou o acordo com os líderes da Baía de Escravos em troca de lealdade. A gente entende a jogada dele, mas Dany não vai ficar nem um pouco feliz com isso… 

Winterfell

E, infelizmente, Osha entrou para as estatísticas e cumpriu a cota de morte sangrenta do episódio. Desde que Ramsey colocou aquela faca em cima da mesa, a gente sabia: a cena não ia acabar bem. E, lógico, não acabou. É incrível como o bastardinho do mal nunca decepciona, não é mesmo?! E, poxa, achei que a Selvagem seria mais esperta… R.I.P.

Leia Mais: Pensamentos sobre ‘Game of Thrones’: 6ª temporada, Episódio 1

Castle Black II

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Não vai ser desta vez que Jonzinho-Floco-de-Neve vai ver o sol! Reclamação dos fãs dos livros, que queriam a “Pink Letter” no seriado, a carta demorou, mas chegou – provavelmente Ramsey Bolton mandou via Sedex. E veio para colocar novamente Jon Snow no campo de batalha. E ainda bem! E como Sansa não está para brincadeira (gente, o que aconteceu? Ela tomou Biotônico Fontoura para finalmente acordar?), mandou uma das melhores frases do episódio: “Um monstro roubou nossa casa e nosso irmão, nós precisamos voltar e salvar os dois”. You go, girl!

Vaes Dothrak

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

E, como sempre, o melhor veio para o final! Como reclamado na review da semana passada, Daenerys Targaryen, Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens estava apagada, com uma história repetida e precisava se reerguer. Qual não foi a surpresa ao ver que isso não só aconteceu como rolou da forma menos óbvia possível?! O mais certo seria Daario e Ser Jorah salvá-la do jeito mais “Os Trapalhões” possível, porém nossa querida Khaleesi tinha em mente algo mais grandioso, quente. E, coroando o poder feminino no episódio, queimou tudo – praticamente sem a ajuda de ninguém. “Vocês não vão me servir, vocês vão morrer” é uma frase tão boa que Emilia Clarke deveria tatuar no cóccix. O que foi aquela saída triunfal, nua, parecendo a Christina Aguilera em “Lotus”? Andar sob as águas? Isso é tão A.C! A Mãe dos Dragões anda é pelo fogo! Sim, diferente dos livros, na série, ela é mesmo à prova de chamas e mostrou para os Dothraki e, principalmente, para o público quem é a dona da p*rra toda. As que comandam vão no trá!

ALGUNS PENSAMENTOS RÁPIDOS

– O que foi o momento da Brienne de Tarth mandando a real para Melisandre? MARAVILHOSA.

– Aliás, a internet já está shippando o casal Brienne e Tormund Giantsbane…

– Mindinho voltou e continua o mesmo FDP ardiloso de sempre. Que bom!

– Theon reencontrou Yara. Que jornada a desse rapaz, hein!

– Esse episódio foi tão bom que nem teve a participação de Sam e das Serpentes de Areia. #gratidão

– Volta, Bran! Volta, Torre da Alegria!

– Não é comum sentir tanta felicidade em um episódio de “Game of Thrones”. Vem coisa ruim por aí!