Pronto para o papel de galã, Chay Suede garante: ‘Estou solteiraço!’

Ele conta como conheceu a fama e, depois de ídolo teen, chegou à novela Império da Globo

“Nunca fui o mais bonito da sala nem o atleta, mas tinha o violão e a gaita, e isso era a receita do sucesso”
Foto: Marcio Nunes

Praticamente forçado pelo pai, Chay Suede, 22 anos, fez um teste para o programa Ídolos (Record) e, sem querer, deu início a uma carreira de sucesso, chegando nesta semana ao posto de galã global ao interpretar José Alfredo, o protagonista de Império na primeira fase da novela. Há cinco anos, quando entrou na competição musical, ele achava que não sabia cantar e passava mal antes de se apresentar para os jurados, mas enfrentou o medo e a insegurança e saiu de lá em um respeitável quarto lugar, direto para a versão brasileira de Rebelde, na mesma emissora. Foi quando engrenou um namoro de dez meses com a colega de elenco Sophia Abrahão, 23, antes do relacionamento de quase três anos com a atriz e cantora Manu Gavassi, 21. Ficou solteiro recentemente, mas se aproximar das mulheres não é um problema para Chay. “Nunca tive muita dificuldade com as garotas. Nunca fui o mais bonito da sala nem o atleta, mas tinha o violão e a gaita, e isso era a receita do sucesso”, conta o capixaba que atualmente mora sozinho em São Paulo e afirma estar feliz com a própria companhia.

Que nome é esse?!

“Meu avô vendia enciclopédia e começou a aprender alguns idiomas. Dentro disso, criou sua própria língua. E traduzia nomes e palavras para a língua dele. E aí traduzia o nome das pessoas. O nome dele era Salustiano de Paula Rocha e o Rocha virou Roobertchay. Ele deu esse nome para o meu pai, Roobertchay Domingues da Rocha. Aí, meu pai namorava uma amiga da minha mãe e ela ouvia sempre esse nome. Ela falou para a minha avó que ia colocar esse nome quando tivesse o primeiro filho. Um ano depois, meus pais se encontraram em uma festa e ficaram juntos. Minha mãe contou a história, eles se casaram e ela fez isso (risos). O sobrenome veio porque em Vitória eu estava agitando uma bandinha, que não ia dar em nada porque a gente era ruim. Mas ganhamos um festival com uma música minha, Stop. Eu a compus para um filme chamado Johnny Suede e por isso coloquei Suede no meu nome.”

Ordem paterna

“Estava no Rio para ajudar meu pai, que é produtor de eventos. Ele viu na TV que aquele era o último dia de inscrição para Ídolos. Meu pai me acordou e disse: ‘Lembra daquele programa em que os candidatos vão lá cantar?’ Eu disse: ‘Aquele em que os candidatos eram humilhados?’ Meu pai completou: ‘Então, vamos lá te inscrever!’ Eu falei: ‘Nunca, não vou dar minha cara a tapa, nem sei cantar’. Ele insistiu, a gente discutiu, ele pegou o carro, parou na frente do lugar e me mandou descer para fazer a inscrição. E tudo deu certo depois disso!”

Namoros e Liberdade

“Acho que, se houve amor na relação e um pouquinho de maturidade, a gente consegue ser amigo das ex, sim, numa boa. Consegui com as duas, com a Sophia e com a Manu… Namorei a Sofia por dez meses e fiquei quatro sozinho. Depois a Manu. Então, praticamente não lembro como é ser solteiro. Estou vivendo isso agora. Estou solteiraço!”

Pronto para o papel de galã, Chay Suede garante: 'Estou solteiraço!'

“Sou romântico na medida do saudável, que é aquela que não faz a menina passar mal”
Foto: Marcio Nunes

À moda antiga

“Sou romântico na medida do saudável, que é aquela que não faz a garota passar mal. Não abafo, não canso, sou de fazer música para elas. Fiz músicas muito bonitas para as meninas.”

Namorada ideal

“A menina tem de ser cheirosa (risos). Também ser livre e independente de mim, e me deixar livre. Ter personalidade. O que é ter personalidade? É segurar a bucha quando vem, é quando dá errado e ela cai para dentro com você, e quando está tudo ótimo cai para dentro também. Gosto de mulher assim, real, de verdade.”

Fã é fã, namoros à parte

“Deixei de ficar com fã porque me incomodou. Pode ser que eu conheça uma que seja supermadura e goste do meu trabalho, mas que consiga separar as coisas. Aí, sim, é possível. E se além disso eu estiver completamente de quatro, não tem por que evitar. Mas imagine alguém que gosta muito de você, que treme quando está perto, que não consegue se comportar de maneira natural… A pessoa apaixonada vive, faz amor com você, a fã não. É muito doido.”

Gato nas redes sociais

“Gosto do Instagram, uso muito por causa das fãs. Se não tivesse esse público e essas pessoas esperando coisas de mim, talvez eu não usasse. O problema é que a rede social aumenta situações e isso se espalha rapidamente. E, por isso acontecer, as pessoas que utilizam as redes sociais se sentem donas da sua carreira e isso não é verdade. As minhas fãs não são donas da minha carreira, não decidem o que eu vou fazer. Faço as coisas que quero, quando quero e por motivações minhas. Quer isso agrade a elas ou não.”

Família e religião

“Fui criado na Igreja Presbiteriana. Não posso dizer que sou presbiteriano porque não frequento mais com tanta assiduidade. Mas sempre que visito minha família em Vitória, vou à igreja!”

Cinco anos de fama

Antes de terminar Ídolos, em 2010, Chay Suede foi escalado para o time de protagonistas da novela teen Rebelde. “Pensei: ‘O que está acontecendo? Eu não sou ator!'” Mas, diante de tanta insistência, cedeu e ingressou de vez na carreira artística. Ainda se arriscou como apresentador do programa Hora do Chay (MTV) e agora encara seu primeiro papel adulto em Império. “O José Alfredo é muito distante de mim. Ele fala diferente, anda diferente. Mas é muito decidido, vai e faz, não perde tempo. Nisso somos muito parecidos.”

Pronto para o papel de galã, Chay Suede garante: 'Estou solteiraço!'

“Faço as coisas que quero, quando quero e por motivações minhas. Quer isso agrade a elas ou não”
Foto: Marcio Nunes