Rodrigo Lombardi rouba a cena na novela

No papel de Raj, em Caminho das Índias, o ator está dando um show de interpretação

Rodrigo Lombardi se entrega com
intensidade e determinação
aos seus personagens
Foto: Rafael França

Culto, elegante e sensível, Raj de Caminho das Índias é o verdadeiro príncipe encantado que vive nos sonhos de qualquer mulher exigente. O personagem forte e apaixonado vem ganhando cada vez mais envergadura de protagonista na trama de Glória Perez, graças à interpretação emocionante de Rodrigo Lombardi, de 32 anos. O bonitão, aliás, está entre os galãs que recebem o maior número de cartas na TV Globo.

Principais personagens do ator

Muito tranquilo, Rodrigo não se deslumbra por estar em horário nobre e fazer um papel mais importante. “A dedicação é a mesma. Não interessa se estou interpretando um personagem do primeiro escalão ou se faço um de apoio. Preciso me entregar com a mesma intensidade e determinação”, explica o ator.
 
E o gato precisou mesmo de muita garra durante a viagem para a Índia com a equipe da novela em outubro passado. Ele sofreu horrores com a alimentação muito condimentada e com o calor que o deixaram bastante indisposto. Mesmo assim, seguiu em frente, trabalhou duro e se apaixonou pelo país. Tanto que pretende retornar como turista. “É um povo de cultura rica e contrastante em relação à nossa”. 

Paulistano de nascimento, o belo, que vive no Rio de Janeiro, aproveita qualquer oportunidade para voltar a Sampa. “Hoje me considero um paurioca”, assume ele, confessando já ter adquirido os costumes dos moradores da Cidade Maravilhosa. “Adoro jogar vôlei na praia, o futebolzinho com os colegas… Mas São Paulo ainda é minha cidade do coração”, declara-se, comovido.
 
Emoções, aliás, não faltam na vida de Rodrigo, casado com a maquiadora da Globo Betty Baumgartem e com um filho, Rafael, de 1 ano. Papai presente, ele se divide entre os cuidados com o garoto, a doce convivência com a mulher, as gravações da novela e a paixão pelos livros. Ele adora o teatro clássico, lê muito e está sempre antenado. “É assim que o ator consegue aprimorar seu trabalho”, acredita.
 
Há dois anos, quando deu uma bela entrevista a tititi, Rodrigo contou que se tivesse que escolher alguém como um modelo de conduta, esta pessoa seria Gandhi, o grande pacifista indiano. Na época, nem imaginava que faria uma novela cujo principal cenário é o país de seu ídolo. O tempo passou, mas os ideais de paz e calma na vida pessoal e para o mundo continuam presentes na vida dele.
Depois de 13 anos de carreira e sete novelas, entre as quais Pé na Jaca (2007) e Bang Bang (2005), Rodrigo ainda se considera um artista em formação. “Estou começando a contar histórias agora: de alguma coisa que vi, que vivi, porque, antes de dez anos de profissão, você só está ouvindo; ainda está vivendo a história dos outros”, diz, muito modesto e querido, como sempre.