Sabrina Sato: ‘Quero me casar de véu e grinalda antes de ser mãe!’

A musa da Record abre o coração e faz confissões sobre vida íntima, maternidade, casamento e profissão. Verdade!

Sabrina Sato não se acomoda com o sucesso alcançado e diz que tem mais a conquistar!
Foto: Roberta Borges

Ela é um mulherão no palco. E, fora dele, mesmo vestida de maneira simples e com o cabelo preso de forma bem casual na sala de sua cobertura, no bairro de Perdizes, em São Paulo, Sabrina Sato continua linda.

De ascendência libanesa por parte do pai, Omar, e japonesa do lado da mãe, Kika, Sabrina Sato Rahal também chama atenção pela alegria e a simplicidade. Durante esta conversa com TITITI, como sempre, o sotaque de Penápolis (interior de São Paulo), onde nasceu, é seguido várias vezes por risos e gargalhadas.
 
A apresentadora, que grava matérias em comunidades para o Programa da Sabrina, da Rede Record, age com a mesma simpatia e espontaneidade durante a entrevista. E ela abriu o coração sobre seu início na TV, o que pensa a respeito do famoso teste do sofá, a saída do Pânico na Band, a recepção na Record, como foi sua primeira vez e muito mais!
 
Depois que você saiu do Pânico, anunciaram uma cadela como nova integrante da atração. Não se ofendeu?
Imagina, eu não me senti ofendida! Já sabia que seria uma cadelinha e achei uma gracinha! Mas achei bem óbvio, por conhecer o programa, que eles fariam piada com relação a isso. Tenho um carinho muito grande por todos do Pânico e sinto muita falta dessa convivência. A gente tem de ter humor na vida (risos). Por tudo o que vivi lá, não tenho nenhuma mágoa. Só gratidão!
 
Você nunca se envolve em polêmicas, parece entender sempre o outro lado…
Procuro não responder na mesma moeda, porque acabaria sendo igual ao outro. Se responder com agressividade, a gente acaba se tornando igual. Pode ser da cultura japonesa. Mas acho que é ego também. Não tenho essa vaidade, ela não se manifesta dessa forma. Deixo que digam, que pensem, que falem… (risos)
Sabrina Sato: 'Quero me casar de véu e grinalda antes de ser mãe!'

A beleza de Sabrina chamou a atenção do público assim que ela apareceu no BBB3
Foto: TV Globo/Divulgação

Como define sua trajetória no Pânico?
Foi muito importante, de aprendizado, amadurecimento. Fui muito feliz lá. Se não fosse o Pânico, não estaria aqui hoje.
 
Lá você comeu minhocas, caiu de um avestruz durante uma corrida… Concordava com essas coisas?
Não era concordância! Era com minha participação! É muito mais que minha concordância. Sempre participei ativamente do programa. E sempre tive muito respeito, carinho. Eles eram como se fossem meus irmãos! Os meninos pediam muito minha opinião em tudo. E eu encarava tudo muito mais como desafio. Nunca me fiz de vítima na vida. Não seria naquelas situações que ia me fazer também.
 
Como foi a recepção na Record?
Fui muito bem recebida por todo mundo! Desde a primeira vez lá, já me senti muito bem. O cuidado e o carinho de cada um são impressionantes! É aquela coisa de se sentir cuidada e amparada. Não parece que estou fazendo carreira solo.
 
Falaram que você foi para a Record ganhando R$ 1 milhão. É isso?
Claro que não! Tem uma fantasia muito grande em torno dos salários na TV.
 
Sua ida para a Record gerou algum ciúme por lá?
Pelo contrário! Acabei de falar com o Marcos Mion, com o Rodrigo Faro… Converso com as esposas deles também! Todos me receberam muito bem!

Sabrina Sato: 'Quero me casar de véu e grinalda antes de ser mãe!'

A musa aprendeu muito nos dez anos que ficou no Pânico, mas o desejo de ter um programa só dela falou mais alto
Foto: AgNews

Mudando de assunto, como é ser um símbolo sexual?
Não me considero um símbolo sexual! Nem me comporto como um! Marilyn Monroe é um símbolo sexual!
 
Em sua família, era comum falar sobre sexualidade?
Meus pais conversaram muito comigo sobre tudo. Nunca levei um beliscão deles. Eles eram tão bons que a gente não se sentia bem de fazer algo ruim. Tanto que demorei muito para perder a virgindade. Sempre fui muito romântica. Tinha acabado de fazer 20 anos e achava que tinha de ser incrível, como nos filmes.
 
Mas por que sua primeira vez foi só aos 20?
Não era meu foco. Queria trabalhar na TV; tinha tantas coisas na frente que meu objetivo nunca era namorar. Era muito infantil nesse sentido. Estava sempre preocupada com meus cursos. Vim morar em São Paulo com 16 anos… Saía do colégio para o balé e, de lá, para o teatro. Mas aconteceu com meu primeiro namorado sério. Foi bom. A gente conversou muito antes.
 
Você nunca recebeu proposta para um teste do sofá?
Acho que o teste do sofá é outra fantasia que as pessoas têm sobre esse meio da TV. Nunca vi ninguém chegar em alguém e oferecer o teste do sofá. Acho que só propõem a quem se submete a isso.
 
Como é se sentir uma mulher desejada e assediada por tantos homens?
Nos aeroportos, as crianças e as mulheres são os que mais me pedem para tirar fotos, sabia? Os homens não me assediam e costumam ser respeitosos. Sabe o que eles fazem? Ligam para as esposas do celular e me passam para falar com elas! Tem homem que fala: “Minha namorada faz treino para ficar com as suas pernas. Posso ligar para ela falar com você?”
 
Como você é na intimidade? Você já disse que é romântica…
Sou, né (risos)? Tenho vergonha de falar sobres essas coisas… Sou bem romântica, sim.
Sabrina Sato: 'Quero me casar de véu e grinalda antes de ser mãe!'

No carnvala, Sabrina é sempre destaque
Foto: Marco Pinto

E você já realizou todas as suas fantasias entre quatro paredes?
(Gargalhadas) Que entrevista picante! Para ser sincera, não sou tão ousada assim quanto pareço. É muito engraçado, sou bem tranquila. Sou como toda mulher. Acho que sexo é algo que está mais na nossa cabeça do que em outro lugar. Tem dias em que você está cansada e não se liga nisso. E tem dia em que está inspirada…
 
Vale tudo na hora H?
Pergunta muito difícil de responder, porque não sei o que é tudo para você (gargalhada). Mas acredito que tudo tem de ser conversado.
 
Você se diz envergonhada, mas posou nua ao sair do BBB3. Como a família reagiu?
Meu pai e meu irmão não gostaram e não queriam. Mas viram que as fotos eram artísticas, feitas pelo Bob Wolfenson. São fotos lindas. Na época, até o Boninho conversou com meu pai.
 
Li que você já pensa em ter filhos no ano que vem…
Não, ainda não. Acabei de parir o programa, é recém-nascido. E também tem meu sobrinho de 6 meses, o Felipe, de quem também cuido como se fosse meu. Quero ainda sambar mais alguns anos, sou nova, tenho só 33… (risos). Quero casar de véu e grinalda antes de ser mãe!
 
E como está a relação com o João Vicente de Castro, seu namorado? Tem vontade de se casar?
O namoro está ótimo, ele é muito bacana, fofo e me entende. Quanto a casamento, não sou ansiosa, deixo acontecer naturalmente. O João ainda não me pediu também (risos)!
 
E se ele pedir?
(Risos) A gente conversa muito sobre isso. Ele também tem vontade, mas disse que não imagina festa. Mas, já que eu tenho vontade, a gente faz uma!
 
Você é religiosa?
Tenho muita fé. E acho que você tem sempre que fazer o bem sem olhar a quem. Também sou muito agradecida a Deus por absolutamente tudo o que aconteceu comigo até aqui. Tem horas na minha vida em que nem acredito que estou conseguindo realizar meus sonhos.
Sabrina Sato: 'Quero me casar de véu e grinalda antes de ser mãe!'

Ao lado do namorado João VIcente de Castro, publicitário e integrante do Porta dos Fundos
Foto: TV Globo/Divulgação

Já teve vontade de tirar essa pinta da testa?
Já, mas ela é minha! Do mesmo jeito que meu nariz é de libanês, meus olhos são pequenos… Passei da fase de querer ter o peito da fulana, cara igual à das amigas… Gosto de ter as minhas características. E quero aprender a aceitar as rugas que vou ganhar.
 
Como estará a Sabrina Sato daqui a alguns anos?
Ah, vou estar casada, com filhos e com meu programa bombando muito (risos)!
 
É assim que você se vê?
Quero trabalhar enquanto estiver viva. É muito engraçado. Sempre gostei desse trabalho. Desde criança, fazia minha mãe me levar a testes em rádio, TV… Uma vez fiz Cidade contra Cidade, no SBT, e ganhei (risos)! É, desde os 6 anos sabia que queria trabalhar em TV, ser apresentadora… Eu brincava disso. Fiz balé e teatro a vida inteira pensando em TV! Lá pelos 20, larguei a faculdade de dança na Universidade Federal do Rio de Janeiro e fui fazer jornalismo. Naquela época, entrei no Big Brother Brasil.
 
E você participou do programa porque queria muito trabalhar em TV, certo?
Era isso, e não porque queria ganhar R$ 500 mil!
 
Então, pelo jeito, você chegou aonde sempre quis.
Acho que não, ainda! Tem muita coisa que tenho vontade de fazer no meu programa. Tem um amadurecimento, um caminho para percorrer como apresentadora. Acho que vou amadurecer com o tempo, e tudo tem de ser natural, como sempre foi, espontâneo. Na minha vida, nada foi programado.