Saiba quem foi Sharon Tate, vivida por Margot Robbie no filme de Tarantino

História de vida da atriz, que estava em ascensão nos anos 60, não se limita ao que é mostrado em "Era Uma Vez em... Hollywood".

Na última quinta-feira (15), mais um filme de Quentin Tarantino chegou aos cinemas brasileiros. Com uma história parcialmente baseada em fatos reais, ‘Era Uma Vez em… Hollywood conta a história de Rick Dalton (Leonardo DiCaprio), um ator instigado pela fama e o seu dublê, Cliff Booth (Brad Pitt) tentando ganhar os holofotes hollywoodianos na época em que Charles Manson (Damon Herriman) cometia uma onda de assassinatos nos Estados Unidos. Na trama, o nome de Sharon Tate volta à tona com a interpretação de Margot Robbie – e por ter sido uma das figuras mais emblemáticas dos ataques de Manson.

Tarantino tem um estilo único e isso é fato. Já no nono filme de sua carreira, o diretor resolveu debater questões internas da indústria cinematográfica. Para isso, ele utiliza a imagem de um ator infeliz, que tenta de tudo para ser reconhecido e não acabar na sombra de apenas um trabalho. Na construção dessa narrativa, o cineasta fala de celebridades da vida real, mas sem adentrar muito em suas história, como Bruce Lee (vivido por Mike Moh), Steve McQueen (vivido por Damian Lewis) e a própria Sharon – que é muito mais do que é mostrado no longa.

‘Era Uma Vez em… Hollywood’ contenta-se em mostrar a figura de Sharon como uma atriz inocente, carismática e sonhadora. Sabemos que ela estrela um filme durante o período retratado da trama, mas Sharon esteve presente em muitos outros trabalhos.

Sharon Tate

 (Michael Ochs Archives/Stringer/Getty Images)

A atriz nasceu em 1943, na cidade de Dallas, nos Estados Unidos. Filha de um coronel, a menina já atraía olhares desde pequena pela beleza estonteante. Com apenas seis meses de vida, ganhou seu primeiro concurso de beleza, o chamado Miss Tiny Tot. As vitórias repetiram-se na adolescência, ao participar de outros concursos, como Miss Autorama e Miss Richland.

No começo dos anos 60, na chamada “Era de Ouro” de Hollywood, a jovem se mudou para Los Angeles, a fim de seguir o sonho de ser atriz. Foi modelo, capa de revista, fez aparições na TV, como na lendária série ‘A Família Buscapé‘, e até chegou a fazer um teste para interpretar Liesl von Trapp em ‘A Noviça Rebelde‘. Seu talento chamou a atenção de diretores da época e ela, então, fez uma bela estreia nas telonas em 1966 – com ‘O Olho do Diabo‘, de J. Lee Thompson.

Sharon Tate em 'O Olho do Diabo' Sharon Tate em ‘O Olho do Diabo’

Sharon Tate em ‘O Olho do Diabo’ (IMDb/Divulgação)

Daí pra frente, decolou em pouco tempo e chegou a ser conhecida como Million Dollar Baby. Namorou Jay Sebring, cabeleireiro das celebridades daquele momento, e atuou em ‘Não Faça Onda‘, ‘A Dança dos Vampiros‘ (onde conheceu o diretor e seu futuro marido, Roman Polanski) e ‘O Vale das Bonecas‘, que é a obra mais conhecida de sua carreira. Este filme, inclusive, lhe rendeu um indicação ao Globo de Ouro, em 1968, na extinta categoria de Atriz Revelação.

Sharon e Polanski formavam um dos casais mais populares dessa época. Ela, contudo, não fazia questão de aparecer em todas as produções de seu marido. Depois de casar-se, em 1968, estrelou outros dois filmes antes de ser assassinada em 1969.

Roman Polasnki e Sharon Tate no dia em que uniram votos, em 1968. Roman Polasnki e Sharon Tate no dia em que uniram votos, em 1968.

Roman Polasnki e Sharon Tate no dia em que uniram votos, em 1968. (Evening Standard/Getty Images)

Sharon era uma estrela em ascensão que só trazia bons ares por onde passava. Infelizmente, a atriz teve um destino trágico, sendo assassinada aos 26 anos a mando de Charles Manson, quando estava grávida de oito meses e meio. Essa era a primeira gestação da atriz, e seu filho também não sobreviveu.

Polanski havia ido para Londres fazer a pré-produção do filme ‘O Dia do Golfinho‘ e Sharon estava sozinha na casa dos dois em Beverly Hills. Na noite do dia 9 de agosto de 1969, ela foi a um restaurante mexicano com três amigos (Jay Sebring, Abigail Folger e Wojciech Frykowski) e retornou com eles para casa. Lá também se encontrava o caseiro da família, William Garretson, que morava em uma pequena construção perto da mansão, e seu amigo Steven Parent, que tinha apenas 18 anos.

Durante a madrugada, quatro integrantes do grupo de seguidores do serial killer, conhecidos como Família Manson – Tex Watson, Linda Kasabian, Susan Atkins e Patricia Krenwinkel – foram em direção à casa para executar um plano encabeçado por Mason: assassinar Terry Melcher, produtor musical que recusou-se a lançar a carreira musical de Manson.

Terry morava na casa onde Sharon e Polanski viviam, mas ele já havia se mudado. Isto os assassinos não sabiam. De maneira covarde e totalmente gratuita, os quatro jovens estavam decididos em executar quem que estivesse ali. Steven foi a primeira vítima, ele estava saindo da casa de William e foi pego de surpresa. Por fim, os criminosos invadiram a mansão, assassinando Sharon e seus amigos.

O alvo principal de Manson era, na verdade, o produtor musical Terry Melcher, e não Sharon Tate. O alvo principal de Manson era, na verdade, o produtor musical Terry Melcher, e não Sharon Tate.

O alvo principal de Manson era, na verdade, o produtor musical Terry Melcher, e não Sharon Tate. (Michael Ochs Archives/Getty Images)

Dez anos depois do crime, Polanski homenageou a esposa com a adaptação cinematográfica de uma das leituras favoritas. ‘Tess – Uma Lição de Vida‘ foi lançado em 1979 e ganhou três Oscars na edição de 1981 do evento (Melhor Figurino, Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte), além da grande indicação a Melhor Filme.

Hoje, Sharon é mais conhecida por seu brutal assassinato do que pelas coisas que fez em vida, o que é muito desanimador. Ao levar em conta sua trajetória, Sharon não merecia ser reduzida à vítima de um serial killer horripilante. E ela é, com certeza, muito mais do que isso.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆