Sérgio Guizé: “Já fiz cenas mais picantes”

O ator fala sobre a responsabilidade de reviver João Gibão, papel de Juca de Oliveira na primeira versão de Saramandaia

Sérgio Guizé, que vive João Gibão em Saramandaia
Foto: Divulgação/TV Globo

Para grande parte do público, Sergio Guizé é um rosto novo. Mas, há 15 anos na estrada, o jovem de 33 anos vem conquistando seu espaço. Figura conhecida no teatro e no cinema, já contabiliza 26 espetáculos e dez filmes. Na TV, fez algumas participações especiais em Tapas & Beijos , quando viveu o travesti Lorraine, e também nas novelas Da Cor do Pecado (2004) e Caminho das Índias (2009). Mas foi em Sessão de Terapia , exibido no canal pago GNT, no ano passado, que ganhou visibilidade. Agora, na pele de João Gibão, o paulista encara um novo desafio na profissão: dar vida ao protagonista de Saramandaia , no horário das 11. Cheio de expectativas, ele não nega a insegurança, mas garante que se depender do esforço será tudo um sucesso. Reservado como o personagem, Sergio fala pouco da vida pessoal. Questionado se está preparado para o assédio, ele dispara: “Não me preocupo muito com isso. O que quero é executar um bom trabalho”. Avesso a badalações, nas horas livres Guizé se dedica a seus hobbies. Artista plástico e músico, o bonitão ainda compõe para a banda Tio Che, na qual canta e toca há 13 anos. Conheça melhor o novo galã da Rede Globo!

Como surgiu o convite para estrelar Saramandaia?
Conheço a Denise (Saraceni) há dez anos e o convite aconteceu um dia depois da estreia do Breno, na série Sessão de Terapia. Ela ligou me convidando para fazer o João Gibão, que era um dos protagonistas da novela. Achei uma grande responsabilidade, mas estou encarando. Estou encarando como um grande presente.

Saramandaia é cheia de efeitos especiais. Como foi a preparação?
Fui com a Vera Holtz e o Gabriel Braga Nunes para Los Angeles. Lá, moldamos o corpo para os efeitos especiais. Para falar a verdade, ainda não tenho ideia de como isso vai ficar no ar.

Saber que na primeira versão o papel foi de Juca de Oliveira aumenta a responsabilidade?
O personagem foi um ícone e representado por um mestre! Vi pouca coisa da primeira versão na internet e me sinto privilegiado. Mas não penso no que vai acontecer depois. Estou vivendo muito o personagem. É um desafio que estou curtindo bastante.

Sérgio Guizé: "Já fiz cenas mais picantes"

Sérgio e Chandelly em cena da novela Saramandaia
Foto: Divulgação/TV Globo

Seu personagem tem muitas cenas picantes. É difícil executá-las?
A Chandelly (Braz, que vive a Marcina, seu par romântico) é uma grande parceira e tenho aprendido muito com ela. Nos conhecemos nas gravações nos Lençóis Maranhenses e viramos grandes amigos. Isso facilitou, mas acho que, no teatro e no cinema, já fiz cenas mais picantes.

Você parece ser reservado como o Gibão. O que vocês têm em comum?
O comprometimento e o amor aos animais. Sempre tive muitos bichos desde bem pequeno: escorpião, pombo e, agora, vivo com o meu  cachorro.

Está preparado para o assédio do grande público nas ruas?
Por enquanto, ele ainda não veio. Não me preocupo muito com isso, não. O que eu quero é apenas executar um bom trabalho.

Além de atuar, você também canta. Dá para conciliar os dois?
Vou tentar. Estamos, inclusive, programando lançar um videoclipe ainda este ano.

Em uma entrevista, você disse que é comum ser comparado fisicamente com o Selton Mello. Isso incomoda?
De maneira alguma! Escuto bastante as pessoas dizerem que sou parecido com ele. Ainda bem que é o Selton, né? Ele é um grande ator, é um gênio! Se continuarem me comparando com grandes pessoas, não vou me incomodar. Não vejo problema!