Séries: ‘midseason’ traz temporadas quentes pra telinha

A chamada 'midseason' (a entressafra de séries nos Estados Unidos) ganhou novo peso e está recheada de ótimas estreias e retomadas de sucessos

Foi-se o tempo em que a chamada midseason, os três primeiros meses do ano, era recheada de séries tapa-buracos. Com a TV americana cada vez mais quente, janeiro e fevereiro não ficam nada a dever às outras épocas do ano. O Brasil também se beneficia, com algumas estreias simultâneas e a chegada de alguns programas lançados entre setembro e novembro nos Estados Unidos.

Na segunda temporada de The Fall, produzida pela BBC e já disponível na Netflix no Brasil, a talentosa detetive Stella Gibson (Gillian Anderson, 46) aperta o cerco ao matador em série Paul Spector (Jamie Dornan, 32). Ela interpreta uma daquelas mulheres decididas e que não hesitam em convidar um homem para sua cama sem culpa, lidando com o machismo diariamente.

Sexo também não é exatamente um problema para as meninas de Girls, cuja quarta temporada é exibida no Brasil, simultaneamente com os Estados Unidos, na HBO, aos domingos, à meia-noite. Agora, Hannah (Lena Dunham, 28) muda-se para Iowa para um workshop de escritores e tenta manter um relacionamento à distância com Adam (Adam Driver, 31).

Também aos domingos na HBO, mas à 1h da madrugada, é a vez dos rapazes de Looking serem atormentados pelas dúvidas do sexo e do amor, no caso, com outros rapazes.     

Os mortos voltam…

Em The Walking Dead, os problemas são de natureza diversa. Rick Grimes (Andrew Lincoln, 41) e companhia estão de novo na estrada, depois de uma morte traumática e da perda de uma esperança de solução para o apocalipse zumbi.

O apocalipse também dá o tom da nova 12 Monkeys, que acaba de estrear nos EUA. Tem como protagonista James Cole (Aaron Stanford, 38). Ele viaja do ano 2043 para o tempo presente para tentar impedir a disseminação de um vírus que será responsável pela morte de 90% da humanidade. Ainda não há data de estreia no Brasil.

Empire é uma espécie de Rei Lear de tons melodramáticos – um novelão com excelentes atuações. Terrence Howard, 45, é Lucious Lyon, rapper e dono de um império fonográfico. Depois de descobrir uma doença grave, resolve colocar os três filhos na disputa pelo controle da empresa, enquanto sua ex-mulher Cookie (Taraji P. Henson, 44) sai da prisão disposta a pegar sua parte.

Babylon desafia as classificações por gênero, misturando drama, comédia e sátira política ao focar no tenso relacionamento do chefe da polícia de Londres, Richard Miller (James Nesbitt, 50), e da diretora de comunicação do departamento, Liz Garvey (Brit Marling, 31).

Backstrom também gira em torno da polícia, mais precisamente do detetive do título, interpretado por Rainn Wilson, 49 (The Office). O cara é tão desagradável que foi colocado de escanteio no departamento de trânsito, mas consegue uma segunda chance para voltar a resolver crimes.     

Matthias Clamer/FX Networks Matthias Clamer/FX Networks

Matthias Clamer/FX Networks (/)

Salto para o futuro

Numa nota mais leve, em Man Seeking Woman, Jay Baruchel, 32, procura o amor em dez episódios de meia hora em que as coisas mais absurdas acontecem.

E chegou a hora de dar adeus a Parks and Recreation, que termina depois de sete temporadas. A série cômica dá um salto no tempo, avançando para 2017, e agora a sempre otimista Leslie Knope de Amy Poehler, 43, é inimiga do rabugento Ron Swanson (Nick Offerman, 44), seu antigo companheiro de trabalho na pequena cidade de Pawnee. Deve chegar ao Brasil apenas no segundo semestre.

The Comeback é Lisa Kudrow, 51, retomando dez anos depois sua série com Valerie Cherish, desta vez em um show na HBO com uma personagem claramente baseada nela mesmo.     

+ Séries, fique ligado!