Surfista boa praça

Rodrigo Hilbert é Gregg, surfista romântico e de bem com a vida, que faz de tudo para reconquistar seu grande amor

O galã está feliz da vida por fazer, na trama
das 7, as duas coisas que mais ama: 
atuar e pegar onda
Foto: Frederico Rozário

Depois de roubar a cena na novela Duas Caras, interpretando o bandido Ronildo, Rodrigo Hilbert vive agora, em Três Irmãs, um personagem totalmente diferente: honesto, equilibrado e muito trabalhador. E, de bônus, ainda pratica seu hobby favorito: surfar! “Há coisa melhor na vida que trabalhar surfando e ainda receber para isso?”, brinca o ator, que pega onda desde os 15 anos e ainda ficou duas semanas em Bali gravando. “As praias são lindas! E mesmo com dublês, não perdi a oportunidade de surfar. Afinal, estava em Bali!”, conta, superempolgado. Apesar de não ter ainda um currículo muito recheado, o ator acredita que agora está mais maduro e pronto para um outro desafio. “Fui muito criticado no meu primeiro trabalho. E com toda razão. Eu era modelo, nunca tinha tido contato com as câmeras. Estou aprendendo com a vida. Observo as pessoas e o modo como elas atuam”, explica Hilbert, que cita Antonio Fagundes como um de seus mestres. “Trabalhei com ele em Duas Caras e posso dizer que foi um pai para mim. Aprendi muito com ele.”

Esse catarinense de 28 anos, com 1,91 m, loiro e de olhos azuis, vem arrancando suspiros da mulherada quando aparece surfando nas ondas da paradisíaca Praia Azul. Mas elas que não se empolguem, porque ele é apaixonado e casado com uma das mulheres mais bonitas do país, Fernanda Lima, e pai dos gêmeos João e Francisco, de 7 meses.

Quem é o Gregg?
Gregg é um cara do sol, da paz, de bem com a vida. Gosta de cuidar das pessoas e dos amigos. Muito romântico, sofre por amar uma mulher (Alma, papel de Giovanna Antonelli) e perdê-la para outro (Galvão, vivido por Bruno Garcia). Mas não desiste e faz de tudo para reconquistar Alma. É um personagem bonito, trabalhador e amigo. Mas não pise no calo dele! (risos) Gregg defende com unhas e dentes a linda Praia Azul.

Ele tem alguma característica sua?
Muitas. A calma, o amor pela natureza e pelo surfe. O jeito de encarar a vida e correr atrás de tudo o que deseja e não desistir nunca. 

Como foi sair de um personagem vilão, o Ronildo de Duas Caras, para interpretar o mocinho de Três Irmãs?

É uma responsabilidade grande, ainda mais porque Ronildo se destacou bastante na novela. Mas o bacana de ser ator é isso, poder interpretar personagens diferentes a cada trabalho.

Como é atuar numa novela “ensolarada” como Três Irmãs?
Todo o elenco está com muita vontade, muita gana, a direção também. A novela é linda, tem um visual maravilhoso, com praias incríveis e uma história muito bacana. Estou adorando.

Você estreou em 2002, na novela Desejos de Mulher. De lá para cá, como avalia o seu desempenho? Fui muito criticado nessa novela. Foi ali que eu tomei gosto pela atuação e vi que era o que eu queria. Fiquei dois anos afastado da TV e comecei a fazer um curso de teatro, fiz a oficina de atores da Globo e fui procurando o meu caminho, lendo, aprendendo. Graças a Deus, sempre tive do meu lado pessoas muito generosas, que me ajudaram bastante.

Ainda faz cursos de interpretação?
Não. Agora aprendo com a vida. E tenho muita vontade de aprender. Estou indo pelo caminho certo, já me sinto mais à vontade em pedir opinião aos diretores. Antes eu tinha vergonha.

Como foi participar do quadro Dança dos Famosos, no Faustão?
O Dança dos Famosos foi um marco para mim: antes e depois do Dança. Descobri que podia dançar e isso é incrível. A gente pode fazer tudo o que desejar na vida. Basta querer.

Como está se saindo no papel de pai?
Sou um excelente pai, graças a Deus. Nasci para isso. Minha vida agora gira em torno deles. Acordo de madrugada, troco fralda, faço tudo… Está sendo ótimo, um presentão divino!

Com quem eles se parecem?
Eles são bem diferentes um do outro. Francisco é mais parecido comigo e o João com a Fernanda.

A chegada dos bebês mudou muito sua relação com a Fernanda?
Fernanda é a mulher que eu amo! Não mudou nada, pelo contrário, só melhorou.