Taís Araújo: “Ralo muito como qualquer trabalhadora deste país!”

A atriz desmistifica o glamour da TV e conta como se divide entre a carreira, o marido, Lázaro Ramos, e o filho, João Vicente.

Taís Araújp
Foto: TV Globo/Divulgação

Formada em jornalismo e mãe de João Vicente, que, em 18 de junho, completará 3 anos, Taís Araújo se sente bem à vontade no papel da dedicada Verônica, de G3R4ÇÃO BR4S1L. Mas isso não significa que a personagem não ofereça desafios como a faxineira Maria da Penha, de Cheias de Charme (2012). “Naquela trama, tive que cantar, dançar e fazer show. Mas vida de jornalista também não é nada fácil, não”, diz ela.
 
A entrevista com a bela aconteceu durante a festa de lançamento da novela, no dia 29 de abril, na casa de shows Circo Voador, no Rio.
 
Naquele dia, ela gravou até as 17 horas, correu para casa a fim de se produzir e, ainda, tentou estar presente na cerimônia de premiação do marido, Lázaro Ramos, que, naquela noite, foi eleito o melhor diretor no Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil. “Não consegui chegar a tempo de vê-lo receber o prêmio. Só deu para dar carona para a festa”, contou.
 
Simpática, simples e muito divertida, Taís passa longe do estereótipo de estrela. Nesta entrevista, ela mostra que é gente como a gente, uma mulher cheia de compromissos, que, às vezes, como todas nós, tem receio de não dar conta.
 
Como é atuar com o marido na mesma novela?
Não estamos no mesmo núcleo. Então, quando um está gravando, o outro não está. É muito difícil gravarmos juntos. A única coisa boa é que as férias serão juntas.
Taís Araújo: "Ralo muito como qualquer trabalhadora deste país!"

Ao Lado do marido Lázaro Ramos na festa de lançamento de Geração Brasil
Foto: George Magaraia

E assim dá para revezar nos cuidados com o filho?
João Vicente já vai à escola. Ele entrou agora e está amando. Isso nos alivia um pouco, nos tira a culpa de sair para trabalhar. Filho é isso mesmo, você cria para o mundo. Quando conseguimos uma folga juntos, passamos o dia inteiro na rua com ele. A criança chega em casa morta (risos). É que a gente quer aproveitar ao máximo, levá-lo para descobrir as coisas. Ele está numa idade muito gostosa.
 
Ele já reconhece vocês pela televisão?
Mostrei as chamadas da novela. Não sei se ele entende.
 
Pretende ter mais filhos?
Comecei a fazer um trabalho seguido do outro, e não rolou. Mas a gente quer, sim. E não pretendo dar um espaço muito grande, porque João já está começando a ficar independente. Pode me dar preguiça começar tudo de novo.
 
Na novela, você é mãe de um menino de 14 anos, papel do ator Max Lima. Parece difícil ter um filho adolescente?
Eu poderia ter um filho já na idade de Max. Estou com 35 anos e não teria sido sequer uma mãe adolescente (risos).
 
E como é voltar a atuar praticamente com o mesmo elenco de Cheias de Charme?
É só alegria, só diversão. Como a gente se conhece muito, estamos bem integrados.
Taís Araújo: "Ralo muito como qualquer trabalhadora deste país!"

Taís Araújo ao lado de Isabelle Drummond e Leandra Leal, como as Empreguetes de Cheias de Charme
Foto: TV Globo/Divulgação

O que a cativou na Verônica?
É uma mulher comum, não entende nada de informática, o setor jornalístico que ela cobrirá. Viúva, cria sozinha o filho, Vicente, e tem que trabalhar duro.
 
Mas terá um envolvimento com Jonas Marra (Murilo Benício), não é mesmo?
Isso é lá na frente (Taís interrompe nossa entrevista ao notar que Lázaro está saltando na estrutura montada para fotos no local). Viu o performático? Ele está achando que é muito jovem (risos).
 
Na trama, você é constantemente assediada pelo comerciante Barata (Leandro Hassum). E, na vida real, isso acontece?
Nunca fui assediada. Você já?
Taís Araújo: "Ralo muito como qualquer trabalhadora deste país!"

Verônica em Geração Brasil e Barata, Leandro Hassum
Foto: TV Globo/Divulgação

Vai me dizer que ninguém mexe com você na rua?
Tem aquelas cantadinhas. Mas, admito, se saio na rua e não escuto uma gracinha, fico chateada (risos). Ainda mais quando você está precisando dar aquela levantada na autoestima. Tem gente que faz campanha contra o fiu-fiu, mas eu acho divertido. Não pode ser uma coisa ofensiva. Mas, se você estiver mais tristinha num dia, sair e escutar “coisa linda!”, já dá aquele astral, não é?
 
Você começou na televisão aos 16 anos, na novela Tocaia Grande (1995), da extinta TV Manchete. Mesmo assim, não rolaram muitas cantadas?
É porque eu andava com minha mãe. Dona Mercedes assustava (risos). Depois que eu fiz 18 anos, ela parou de andar comigo. Hoje, quando peço para me acompanhar aos lugares, faz um charme. Tenho que pedir muito!
 
Como é sua relação com a tecnologia?
Sei o que todo mundo sabe: passar e-mail, anexar arquivo. Se tiver algo um pouco mais complicado, não rola.
 
Está gostando de exercer a profissão na qual se formou, mesmo que seja na ficção?
É muito bom. Acabo entendendo algumas coisas, e outras continuo sem entender.
 
O que, por exemplo?
Entendo a coisa do furo, da insistência. Não entendo o ato de ultrapassar limites. Acho que nem o jornalista gosta quando lhe pedem algo que o deixará constrangido de perguntar. Não entendo esse interesse na vida privada dos artistas, quando os políticos estão aí sentando em nossa cabeça, e ninguém tem o interesse de contar a vida deles. Por que não correr atrás de quem faz mal à gente?
 
Em geral, o público não tem interesse na vida pessoal de políticos.
Ah, eu entendo.
 
É difícil administrar a carreira, o casamento, a casa e o filho?
A vida de uma atriz não é diferente da de uma jornalista. Ralo muito como qualquer trabalhadora deste país! Acho até que as redes sociais aproximaram o público de nossa realidade. Por que, no Instagram, ele pode ver que os artistas comem, se cansam, saem com amigos (risos)…
 
Fez dieta para emagrecer?
Nada, menina! Parei de malhar e, na verdade, acho que murchei. Eu como de tudo e amo comida pesada, tipo mocotó e rabada.
Emagreci, sim. Não sei quantos quilos, mas estou sentindo as roupas folgadas na cintura e no quadril, e todo mundo me fala que estou um pouco mais magra. A única explicação é a novela, o corre-corre das gravações, ufa!